Goiás vai reavaliar medidas contra o coronavírus em 4 de abril, diz Caiado

0
Imagem: Lucas Diener

Nesta quinta-feira,26, o governador Ronaldo Caiado (DEM), disse que vai liberar de forma gradual o fim da quarentena instituída para combater o avanço do coronavírus no estado. No decorrer do pronunciamento, Caiado lamentou a morte da idosa, a primeira confirmada no Centro-Oeste por conta do Covid-19, e ironizou a comparação realizada pelo presidente Jair Bolsonaro, na última terça-feira,24, destacando que o vírus é uma “gripezinha”.

O decreto do governado para evitar a proliferação do Covid-19, mantém o isolamento social no estado será até o dia 4 de abril. Neste período de quarentena, somente estabelecimentos ligados às necessidades básicas, como farmácia, posto de gasolina e supermercados, podem funcionar. Utilizando máscara, Ronaldo Caiado falou que vai priorizara vidas ao invés da economia.

“Dia 4 é definitivo? Todo mundo volta ao normal? Não. Vamos saber equalizar. Isso vai causar complicações econômicas, é lógico. Mas a nossa responsabilidade principal é a vida das pessoas. Dessas, eu não abro mão como médico e governador”, disse Caiado.

Até o momento, o estado tem 38 casos confirmados de coronavírus. O governador elogiou os decretos de isolamento assinado no decorrer da pandemia de afirmou que Goiás “saiu na frente”. Durante o pronunciamento disse que não é necessário “paranoia” para apresar a reabertura dos comércios.

“Estão numa paranoia de que todo mundo vai quebrar, que vai ser um desemprego total. Todo lugar com coronavírus teve óbitos e empresas quebradas. Nós saímos na frente. Vamos ver o que podemos liberar, se as aulas, a mineração ou a construção de rodovias. Gradualmente, vamos fazer”, pontuou.

As confirmações foram registradas nos municípios de Goiânia (21), Rio Verde (6), Anápolis (3), Aparecida de Goiânia (2), Valparaíso de Goiás (2), Jataí (1), Catalão (1), Silvânia (1) e Luziânia (1).

Leia mais:

Vacinas contra a gripe acabam em postos de Goiânia