33.8 C
Goiânia
sexta-feira, 24, setembro 2021
- Anúncio -

Por orientação da Anvisa, Goiânia suspende vacinação de gestantes com a AstraZeneca

A decisão de suspender a imunização se dá até que a investigação do caso de evento adverso em uma gestante do Rio de Janeiro seja finalizada pelo Ministério da Saúde (MS).

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), atendendo recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), suspendeu a vacinação contra a Covid-19 em gestantes com a vacina do consórcio Oxford/AstraZeneca. A decisão de suspender a imunização se dá até que a investigação do caso de evento adverso em uma gestante do Rio de Janeiro seja finalizada pelo Ministério da Saúde (MS). A mulher morreu após receber o imunizante, mas ainda não confirmação se os eventos tem relação.

“A Secretaria de Saúde de Goiânia esclarece que, apesar de ainda não ter recebido nenhum comunicado oficial da Anvisa, já recomendou às equipes quanto à suspensão da aplicação da vacina AstraZeneca em gestantes. A orientação é de que as pacientes agendem seu atendimento vacinal para as 12 unidades de saúde nas quais há aplicação de doses do imunizante Pfizer BioNTech”, disse o comunicado enviado à imprensa na manhã desta terça-feira (11).

Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou nesta segunda-feira (10), a suspensão imediata do uso da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca/Fiocruz para mulheres gestantes. A orientação está em nota técnica emitida pela agência. A orientação da Anvisa é que a indicação da bula da vacina AstraZeneca seja seguida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde.

“O uso off label de vacinas, ou seja, em situações não previstas na bula, só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios da vacina para a paciente. A bula atual da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca não recomenda o uso da vacina sem orientação médica”, ressaltou a Anvisa.

A vacina vinha sendo usada em gestantes com comorbidades. Agora, só podem ser aplicadas nas grávidas a CoronaVac e a vacina da Pfizer.


Leia mais: Apesar da Justiça proibir a realização de greve, 90% da frota do Eixo Anhanguera não operou

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -