Em novo vídeo, Gayer pede desculpas e diz que lista de nomeação do MDB “pode ser falsa”

De acordo com ele, a lista estava “rodando” em vários grupos de WhatsApp, o que o levou a questionar “uma pessoa” que, garantiu que a lista era verdadeira.

0
Gustavo Gayer
A lista contém vários detalhes que não estão de acordo com dados reais. (Foto: Reprodução / Youtube)

Após repercussão na imprensa e a coligação “Pra Goiânia Seguir em Frente”, do candidato a prefeito de Goiânia Maguito Villela (MDB), dizer que vai à Justiça, o ex-candidato a prefeito de Goiânia, Gustavo Gayer (DC), gravou um vídeo pedindo desculpas pela divulgação de uma lista com supostos nomes já escolhidos em um possível governo de Maguito Vilela, em 2021.

Neste novo vídeo, Gustavo Gayer diz que a lista “pode ser falsa”. De acordo com ele, a lista estava “rodando” em vários grupos de WhatsApp, o que o levou a questionar “uma pessoa” que, garantiu que a lista era verdadeira. “Hoje eu conversei com várias outras pessoas que entendem muito mais da política de Goiânia do que eu. Essas pessoas me mostraram alguns detalhes na lista que levam a crer que talvez ela não seja verdadeira”, disse.

A lista contém vários detalhes que não estão de acordo com dados reais. Na terceira linha, o deputado estadual Henrique Arantes (MDB), aparece como fazendo parte da sigla PTB. O nome da vereadora eleita Aava Santiago (PSDB), também aparece como um dos nomes que assumirão secretarias. Nas redes sociais, ela rebateu a informação falsa e explicou que para assumir alguma pasta, deverá deixar o mandato de vereadora.

“Vereadores, deputados e senadores não podem assumir cargos indiretos, em autarquias, agências, sem renunciar o mandato. Como vereadora, eu não posso assumir agência, a não ser que eu renuncie ao meu mandato. E não vou renunciar, porque esse tipo de gente mesquinha, mentirosa, incompetente, preguiçosa até para construir fake news, eu quero enfrentar na tribuna”, enfatizou Aava Santiago.

Coligação de Maguito vai à Justiça contra fake news

A assessoria jurídica da coligação “Pra Goiânia Seguir em Frente” vai protocolar na Justiça Eleitoral um pedido de investigação sobre a produção e divulgação de informações falsas sobre a chapa. Além da lista falsa, inverdades sobre o estado de saúde de Maguito Vilela tem irritado membros da coligação.

No dia 19 de novembro, a coligação protocolou ontem junto à Polícia Judiciária Eleitoral (Polícia Federal) pedido para investigar a produção e divulgação nas redes sociais de fake news sobre a saúde de Maguito, com áudios e manipulação de imagens. A defesa da campanha relatou que as informações falsas começaram a circular na internet após o resultado do primeiro turno. O inquérito tramita em segredo de justiça para não atrapalhar a apuração dos fatos.


Leia mais: Coligação de Maguito pede investigação sobre suposta lista de nomeações divulgada por Gayer