“Achei que podia ajudar o Brasil”, diz Teich ao deixar o Ministério da Saúde

0
Imagem: Marcelo Casal jr/ Agencia Brasil

Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, 15, o agora ex-ministro da Saúde Nelson Teich afirmou que escolheu deixar o cargo, que deu o seu melhor à frente da pasta e que não aceitou o posto pelo o que o cargo representa.

“Eu não aceitei esse convite pelo cargo, eu aceitei porque achava que podia ajudar o Brasil e as pessoas”, pontuou o ex-ministro, que ficou menos de um mês no posto.

Teich iniciou o pronunciamento dizendo que a vida é feita de escolhas. “Eu escolhi sair”, ressaltou, contrariando versões de que havia sido demitido.

“Eu fiz o meu melhor nesse período”, acrescentou. “Não é simples estar à frente de um ministério como esse, em um período difícil. Agradeço muito meu time, que sempre esteve ao meu lado”.

Teich agradeceu ainda o presidente Jair Bolsonaro pela oportunidade, como definiu, de ser ministro da Saúde. “Ter feito parte do ministério foi algo importante para mim, seria ruim, na minha carreira, não ter tido a oportunidade de atuar no ministério pelo SUS; eu nasci graças ao serviço público, estudei em escola e faculdade pública, fui criado pelo sistema público”, definiu.

O ex-ministro afirmou que deixa um plano de estratégia para o o próximo gestor. “Deixo um plano de trabalho, um plano pronto para auxiliar Estados e municípios a entendero que está acontecendo, definir os próximos passos, entregar os pontos a serem avaliados e pontos críticos que precisam ser encontrados; é um auxílio na tomada de decisão”, resumiu.

No plano há, também, um programa de testagem que segundo Teich já está pronto para ser implementado. “Isso é importante para que seja possível entender a situação da covid no Brasil e sua evolução; é fundamental para definir estratégias e ações”.

Ele também falou sobre as viagens que fez, como para Manaus e Rio de Janeiro, onde o surto de coronavírus merece mais atenção. “Foi fundamental para ver o que está sendo feito e entender melhor o que acontece na ponta; foi fundamental para desenhar ações a serem implementadas em seguida. Em cada cidade que fomos, íamos mais preparados para enfrentar o desafio”.

Por fim, Teich voltou a agradecer a todos os profissionais de saúde do País. “Quando você vai na ponta, vê o dia-dia dessas pessoas, você se impressiona com a dedicação delas, mesmo correndo risco. É espetacular”, acrescentou.

Leia mais:

‘Oremos’, diz Mandetta; veja a repercussão da saída de Teich