16.8 C
Goiânia
domingo, 29, maio 2022
- Anúncio -

Vereadores de Goiânia comentam sobre os atos a favor e contra o presidente Bolsonaro

Mauro Rubem e Gabriela Rodart têm posições políticas diferentes

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Advertisement -

Vereadores de Goiânia, com pensamentos políticos distintos, comentam sobre as manifestações deste feriado de 7 de setembro.

Para a vereadora Gabriela Rodart (DC), as pessoas que participaram dos atos a favor de Bolsonaro deram o recado que estão ao lado do governo.

“Para mim, a principal mensagem que ficou foi a determinação. Eram milhares e milhares de pessoas que foram. Pais, crianças, senhorinhas, senhores e jovens, foi muito emocionante. Eu vejo que o povo sinalizou de forma bem explícita o apoio ao presidente Bolsonaro”, explicou a parlamentar à Bandeirantes.

Já o vereador Mauro Rubem (PT) explicou que o outro evento contra Bolsonaro e em defesa de várias outras pautas ocorre há 27 anos, o chamado Grito dos Excluídos percorreu as ruas do Centro de Goiânia.

“É importante destacar que o momento que o Brasil vive é um impasse até democrático. Há 27 anos realizamos o Grito dos Excluídos, com vários movimentos sociais envolvidos, e fazemos o contraponto sobre se de fato houve a independência para todos os brasileiros e brasileiras”, pontuou o vereador.

Uma carreata de apoiadores do presidente saiu do Autódromo Internacional de Goiânia, passando pela  rodovia  GO-020, por alguns dos principais bairros  aqui da capital e encerrando por volta de uma da tarde um trajeto que durou cerca de uma hora e meia, foram mais de 20 km de carreata.

De acordo com os organizadores do movimento, a expectativa é de que 10 mil veículos tenham participado deste ato em prol do presidente, mas ainda não temos uma confirmação do número exato, já que nem a PM fez uma estimativa de participantes.

Em contrapartida, manifestantes contrários a Jair Bolsonaro também foram  às  ruas de Goiânia. A concentração deste grupo ocorreu na Praça do Bandeirante, no Centro da capital. Membros de sindicatos e movimentos sociais, além de partidos de esquerda realizaram o chamado “Grito dos Excluídos”.

Segundo os organizadores, cerca de 2 mil pessoas participaram do ato contra o presidente, a PM também não se pronunciou acerca do número de manifestantes.


Leia mais: Ministro diz que pode ser candidato ao Senado por Goiás

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -