Sozinha, a Secretaria de Cultura só pode fazer Choro e nada mais

0

A volta do Projeto Grande Hotel Vive o Choro, pela Secretaria Municipal de Cultura é um dos grandes acertos de Kleber Adorno à frente da pasta.

Depois de longo período sem apresentações o programa gratuito e com música de qualidade vai acontecer onde o espaço melhor lhe cabe: o centro da cidade.

Se o prefeito Iris Rezende pretende revitalizar a região precisa em primeiro lugar dar à população motivos para ocupá-la, e oferecer cultura é uma delas.

Mas não é só isso.

A região central precisa de mais segurança com a presença da guarda civil metropolitana em seus prédios históricos, como o próprio grande hotel onde acontece o evento.

Da polícia militar para que o comércio fique aberto até mais tarde. Para que as pessoas possam se sentir seguras ao passear pelas ruas da região.

O centro também precisa urgentemente da Secretaria Municipal de Assistência Social acolhendo moradores em situação de rua e dependentes químicos. Oferecendo a eles o mínimo de dignidade, seja com cobertor ou um local seguro para dormir.

O centro também precisa da Secretaria Municipal de Trânsito para humanizar a relação máquina  versus gente.  É preciso educar antes de multar. 

O centro também precisa da Secretaria de Infraestrutra, da Comurg, da Seplan.

O centro precisa de mais calçadas em boas condições, mais higiene, mais conservação histórica e patrimonial.

O centro precisa voltar a ser o centro, de tudo e de todos nós. O Chorinho é uma bom começo dessa retomada, mas sozinha a Secretaria de Cultura só pode fazer choro….e nada mais.

Leia mais:

Demorou, mas Iris concede progressão para servidores

Iris Manda recado: se não sabe brincar não desce para o play