Sem isolamento social mínimo em 50%, não haverá flexibilização em Goiânia

A taxa de isolamento social na capital está em torno de 38%. A orientação é de no mínimo 50% de isolamento.

0
Mulher de máscara falando em microfone
Fátima Mrué, em coletiva de imprensa no Paço Municipal. (Foto: Divulgação / Prefeitura de Goiânia)

A Prefeitura de Goiânia descarta a flexibilização na capital, enquanto o isolamento social não atingir a marca mínima de 50%, e consequentemente, haver uma diminuição nos casos de coronavírus na cidade. A afirmação foi feita pela secretária municipal de saúde, Fátima Mrué, em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (05), no Paço Municipal, em Goiânia.

“Nós estamos em um patamar considerado o melhor do país, em grande parte, graças a alguns fatores. O primeiro deles é o isolamento social que atingiu em primeiro momento até 70%”, disse a secretária, que ressaltou a queda nesse percentual. “Ao longo das semanas, esse isolamento foi se perdendo e hoje nós estamos entorno de 38%, que é um isolamento muito baixo e propicia [para] que a doença se propague com uma velocidade maior”, concluiu Fátima.

Taxa de isolamento social

Goiânia já soma 2.410 casos de coronavírus e 75 mortes. É o epicentro da doença no estado de Goiás. O isolamento social na capital, de acordo com Walison Moreira, secretário municipal de desenvolvimento econômico, já foi de 70% no mês de março, quando foi registrado o maior percentual. O último balanço feito, no dia 28 de maio, mostrou que Goiânia tem apenas 36% de isolamento social.

Os leitos de UTIs na capital estão 78% ocupados e os leitos comuns (enfermarias) já registram 93% de taxa de ocupação. “Isso significa que temos que tomar medidas urgentes para as próximas duas semanas que serão decisivas para o rumo que Goiânia vai se encontrar”, completou a secretária.

Ainda de acordo com a secretária, há um risco no aumento gradativo e rápido [de contágio] se a população não voltar ao isolamento social em torno de pelo menos 50%. Segundo explicou, os planos para reabertura estão sendo construídos a mais de mês, para quando a pandemia estiver em declínio, as flexibilizações comecem de maneira segura.

Antecipação de feriados

A prefeitura também pretende antecipar feriados na tentativa de aumentar o isolamento social. De acordo com o secretário municipal de governo, Paulo Ortegal, o comitê de crise se preocupa com a atividade econômica, da mesma forma que se preocupa com a vida.

“Com o intuito de melhorar a taxa de isolamento, estamos pensando em fazer com que esses feriados sejam antecipados. […] Estamos pensando em por exemplo 12 de outubro e 24 de outubro para a partir da próxima semana, também antecipar esses feriados”, revelou o secretário Paulo Ortegal.

Na próxima sexta-feira (12), deverá ser computado ponto facultativo na capital, pois na quinta-feira (11), é feriado de Corpus Christi. Ainda de acordo com o secretário, a definição com a questão dos feriados deve ser definida até a próxima segunda-feira (08).