Quatro são indiciados por morte de criança eletrocutada em decoração natalina de Caldas Novas

Segundo o trabalho pericial, foram constatadas uma série de irregularidades graves no planejamento e na execução da montagem da decoração do local.

0
Júlia decoração de Natal
A DPCA de Caldas Novas inquiriu 23 pessoas, dentre informantes, testemunhas e investigados. Foto: Arquivo Pessoal)

A Polícia Civil do Estado de Goiás, concluiu o inquérito policial instaurado para apurar as circunstâncias da morte de Júlia Honória Franco, de oito anos, ocorrida em 27 de novembro de 2020, na praça Mestre Orlando, Setor Central de Caldas Novas. De acordo com as investigações, a morte foi causada por uma descarga elétrica que atingiu a vítima quando ela tocou a estrutura da decoração de natal, que se encontrava energizada na oportunidade.

Segundo o trabalho pericial da Polícia Técnico-Científica de Caldas Novas, foram constatadas uma série de irregularidades graves no planejamento e na execução da montagem da decoração natalina do local. O encadeamento dessas falhas resultou na energização de toda a estrutura metálica, que levou à morte da criança.

Durante a instrução do inquérito policial, a DPCA de Caldas Novas inquiriu 23 pessoas, dentre informantes, testemunhas e investigados. Assim, foi possível identificar os responsáveis, diretos e indiretos, pelas falhas na instalação elétrica da decoração da praça e, portanto, individualizar a autoria delitiva.

Diante da comprovação de culpa por parte de envolvidos no trabalho de decoração de natal da praça, houve o indiciamento de um eletricista, um assessor comissionado e dois secretários municipais, todos servidores da Prefeitura de Caldas Novas, em razão da prática de homicídio culposo, previsto no artigo 121, 3º do Código Penal. As investigações correram no âmbito da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Caldas Novas.


Leia mais: Polícia indicia vereadores de Goiatuba por suposto desvio de R$ 250 mil dos cofres públicos