“Quando chegamos, os corpos já estavam carbonizados”, diz comandante dos bombeiros sobre queda de avião no TO

0
Imagem: Divulgação/CPM-TO

Na manhã deste domingo, 24, a comandante do 1º Batalhão de Bombeiros Militar do Estado do Tocantins, a tenente-coronel Andreya de Fátima Bueno, que coordenou a equipe chamada para socorrer as vítimas da queda do avião em Tocantins, que matou quatro jogadores e o presidente do Palmas. Segundo ela, porém, não foi possível fazer nada. 

“Infelizmente, para o resgate das pessoas que estavam na aeronave não foi possível. Nosso acionamento aconteceu às 9h22, estávamos no local às 9h40, mas a aeronave já estava completamente em chamas e os corpos carbonizados”, disse. “Quando chegamos, ainda havia fogo, em chamas menores, mas os corpos carbonizados.”

Segundo a tenente-coronel, equipes de suporte dos bombeiros continuam no local para o suporte de parentes e amigos que se sentissem mal. Eles também isolaram o local para preservar a área para a perícia. 

“Recebemos informações de pessoas que acompanharam a decolagem, que nos disseram que foi imediato. Assim que decolaram, já perceberam comportamento irregular da aeronave, uma subida imediata, e na sequência a queda bem próxima à cabeceira da pista”, contou. “

O avião partiu de um aeroclube a cerca de 20 km do centro de Palmas. Também de acordo com a tenente-coronel, o clube está autorizado a fazer esse tipo de voo e parece que a aeronave estava regular. “Mais informações chegarão após as pericias”. Ela também ressaltou de que essa “não é uma ocorrência comum na região”.