PROS destitui Eurípedes Júnior da presidência do partido

0
Foto: Reprodução

O Partido Republicano da Ordem Social (PROS) destituiu Eurípedes Júnior do cargo de presidente nacional da sigla. Segundo nota enviada à imprensa, a medida foi tomada numa reunião do Diretório Nacional do Partido, realizada neste sábado (11), na sede da legenda, em Brasília.

Segundo à nota, Júnior “foi acusado reiteradas vezes, de desvio dos recursos do Fundo Partidário, Fundo Eleitoral e lavagem de dinheiro”.

De acordo com o diretório, as  denúncias foram comprovadas por um inquérito da Polícia Civil de Goiás que foi remetido à Justiça Federal, “tornando a situação do ex-presidente do partido, Eurípedes Junior, insustentável junto aos membros do Diretório Nacional, filiados e parlamentares do PROS”.

Segundo a nota à imprensa, o ex-presidente teria quando um helicóptero no valor de R$ 2,4 milhões para uso pessoal e com recursos do Fundo Partidário em 2015, o que segundo eles, fez “membros do Diretório Nacional e a maioria dos filiados passarem por um grande constrangimento público, tendo como consequência considerável número de desfiliações”. O diretória teria feito então “inúmeros apelos”, para que o então presidente declinasse da compra ou do uso da aeronave, porém não houve êxito.

“A partir desse acontecimento, o partido passou a ver uma administração ditatorial, sem democracia e transparência, guiada por interesses pessoais do presidente e seu restrito grupo político, que não chega a dez membros”, diz a nota.

A Direção Nacional do Pros reitera que não houve outra alternativa: “Foi preciso fazer valer o uso dos dispositivos previstos no Estatuto Partidário para encerrar a escalada de desmandos, evitar o desvio dos recursos públicos e preservar à imagem da instituição e dos seus milhares de filiados em todo o Brasil”.

Na reunião deste sábado foi instituída uma Comissão Executiva Nacional Provisória, que será presidida pelo membro do Diretório Nacional, Marcus Vinicius Chaves de Holanda, que segundo o partido, vai realizar a transição até a próxima Convenção Nacional.

Contestação

Neste domingo (12), aliados de Júnior e a assessoria jurídica do PROS afirmaram que a reunião realizada neste sábado foi ilegal e que ele continua sendo o presidente do partido. Segundo nota, divulga por enquanto em redes sociais, “trata-se de uma tentativa natimorta de golpe partidário, que não resiste a uma análise jurídica mínima”.

Segundo a nota, Eurípedes Júnior não foi convocado para a reunião do diretório e que membros foram impedidos de entrar à sede do partido para participar do encontro.

“A sede nacional foi invadida, tomada, e isolada, por essas pessoas. Além disso, as senha do sítio eletrônico oficial do Partido, bem como de suas redes sociais, foram alterados, para divulgações indevidas”, segue o comunicado.

A destituição de Júnior foi publicada no site e nas redes sociais oficiais da sigla

Ao finalizar, o comunicado afirma que “o partido vai buscar todos os meios institucionais para regularizar a situação jurídica e política do partido, o mais rápido possível, bem como buscará a responsabilização de todos os envolvidos”.

Leia mais:

Bolsonaro deixa PSL e vai criar novo partido