Operação Semana Santa: 85 são presos por descumprimento às medidas sanitárias, em Goiás

A maioria dos registros foi motivada pela realização de festas clandestinas, além de glomerações e a não utilização de máscara de proteção facial.

0
Operação Semana Santa
Os flagrantes foram feitos em 40 municípios. Foto: CPR)

Entre a tarde da última quarta-feira (31) e domingo (04), as forças policiais do estado de Goiás atenderam 84 ocorrências durante a Operação Semana Santa. As prisões ocorreram como previsto no artigo 268 do Código Penal Brasileiro, para impedir introdução ou propagação de doença contagiosa. Ao todo, foram realizados 85 Autos de Prisão em Flagrante (APF) e 35 Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs). A ação teve como foco o combate à disseminação da Covid-19 e a fiscalização das medidas sanitárias vigentes.

A maioria dos registros foi motivada pela realização de festas clandestinas. As forças de segurança pública também combateram aglomerações em estabelecimentos comerciais, locais públicos e privados, o descumprimento de decretos municipais e a não utilização de máscara de proteção facial. Entre as 11 cidades com o maior número de ocorrências, estão Anápolis, Cavalcante, Mineiros, Iporá, Morrinhos, Amorinópolis, Goiânia, Nerópolis, Jaraguá, Santa Bárbara de Goiás e São Luís de Montes Belos. Os flagrantes foram feitos em 40 municípios.

Em seguida aparecem São Simão, Palmeiras de Goiás, Luziânia, Petrolina de Goiás, Itaberaí, Santa Helena de Goiás, São João D’Aliança, Jataí, Caiapônia, Uruana, Cumari, Cristalina, Caldas Novas, Santa Cruz de Goiás, Trindade, Guapó, Firminópolis, Anicuns, Rubiataba, Mundo Novo, Pires do Rio, Caçu, Goiás, Aurilândia, Águas Lindas de Goiás, Campestre de Goiás, Aruanã, Professor Jamil e Porangatu.

Em uma das ocorrências registradas em Goiânia, as equipes receberam uma denúncia sobre uma festa clandestina no Setor Vila Rosa. No local foram flagradas 10 pessoas que desrespeitavam as determinações de controle da pandemia da Covid-19. Diante da situação, foi lavrado o TCO por descumprimento de medidas sanitárias. Todos os participantes foram encaminhados para a Central Geral de Flagrante para as demais providências legais.


Leia mais: MP-GO, MPF e Defensoria Pública recomendam que Goiás não altere ordem de vacinação