Escalonamento: CMTC espera “diluir” horário de pico em até 4 horas e 15 minutos

0
Foto: Divulgação

A prefeitura de Goiânia informou na última quinta-feira (24) que o prefeito Iris Rezende (MDB) iria acatar o escalonamento de horários para serviços que não são considerados essenciais. Em entrevista ao Jornal Bandeirantes nesta sexta-feira (25), o presidente da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Benjamim Kennedy, afirmou que a ideia é que o horário de pico seja diluído entre as atuais duas horas e 15 minutos para até quatro horas e 30 minutos.

Kennedy esteve reunido ontem com o prefeito para apresentar a proposta que foi aceita. Segundo ele, o documento com os horários serão analisados por técnicos da prefeitura que devem chegar em “um denominador comum” até o início da próxima semana.

“Conversamos com o prefeito de Goiânia sobre esse assunto, explicamos o grande problema sanitário que temos hoje com aglomerações, o prefeito sentiu a dor do usuário hoje que está sofrendo e resolveu acatar a proposta da CMTC”, comentou.

Para ele, o problema dos horários de pico atualmente é a determinação do governo estadual em não deixar que usuários possam fazer a viagem em pé dentro do ônibus. A explicação é que com a quantidade de vagas limitadas no interior do veículo, a espera do usuário aumenta e o número de aglomerações nos locais de embarque também.

“Nossa frota não consegue jamais atender a demanda no horário de pico, mesmo hoje sendo bem menor, não conseguimos fazer esse transporte. Estamos tendo problema de grande aglomeração nos terminais de integração, pontos de embarque e desembarque e plataformas do Eixo Anhanguera”, explicou o presidente.

Horários

O escalonamento de horários propostos pela CMTC segue a ordem: 6h começaria o serviço para garis e coletores; Postos de Combustíveis e panificadoras. Às 7h, estabelecimentos da área de saúde; Indústrias alimentícias Indústrias farmacêuticas/medicamentos e construção civil.

Ás 8h seria o horário para às domésticas; Faxineiras; Vigilantes; Porteiros; Zeladores e trabalhadores das farmácias e drogarias. Às 09h devem abrir supermercados; Lojas de Produtos agropecuários; Lojas de Produtos veterinários; Hospitais e clínicas veterinárias; Agências lotéricas e demais comércios autorizados a funcionarem conforme o decreto estadual.

Benjamin Kennedy acredita que essa mudança no horário dos serviços pode se concretizar e durar além do período da pandemia: “Creio que o escalonamento depois dessa crise ele vai se perpetuar. A própria cidade vai mudar, a cara da cidade vai ser com muito mais uniformidade pelos moradores e visitantes”.

Decreto

O presidente da CMTC também disse que a Companhia deve esperar como será o efeito do escalonamento para levar ao governador Ronaldo Caiado (DEM) uma proposta de mudança no decreto, em vigor desde 20 de março, que obriga que todos os passageiros sejam transportados sentados.

“No meu entendimento os ônibus convencionais poderiam levar os 32 passageiros sentados e mais 18 em pé. Ainda mais hoje com a obrigatoriedade da utilização da máscara”, sugeriu. Para os ônibus da Metrobus a proposta é que seja o mesmo quantitativo de pessoas sentadas e em pé.

Leia mais:

Para garantir abertura da região da 44, lojistas se comprometem a barrar excursões