Coligações de Vanderlan e Maguito trocam acusações neste início de 2º turno; entenda

Vanderlan diz que "falta transparência" por parte de Daniel Vilela que, falou em nota, que vai acionar Vanderlan na Justiça.

0
Maguito Vilela e Vanderlan Cardoso
Maguito segue internado no Hospital Albert Einstein para tratamento da covid-19. (Foto: Reprodução)

Desde o domingo de eleições, as coligações “Goiânia Em Um Novo Momento”, de Vanderlan Cardoso (PSD) e “Pra Goiânia Seguir Em Frente”, de Maguito Vilela (MDB), tem trocada farpas e acusações. Ainda no domingo (15), Vanderlan disse que iria “mostrar quem é ficha limpa e ficha suja”. O candidato também afirmou que respeitou Maguito durante o primeiro turno, mas a campanha do emedebista “seguiu atacando”.

Também no domingo, Vanderlan argumentou que as críticas feitas a ele, eram em relação a “mudanças de partido” e um “áudio com uma fala infeliz”. Mas segundo ele, “não nada para mostrar sobre desvio de dinheiro público, envolvimento com a Lavajato e outras coisas absurdas”, completou, insinuando que os adversários tivessem envolvimento com tal.

Áudio fake sobre morte de Maguito

Já durante a apuração dos votos no período noturno, a assessoria de imprensa de Maguito Vilela divulgou uma nota informando que o candidato apresentou piora no quadro de saúde em razão de uma inflamação nos pulmões. Maguito está internado no Hospital Albert Einstein, para tratamento da covid-19, a qual testou positivo em 20 de outubro.

Instantes depois, um áudio dizendo que Maguito havia falecido foi amplamente divulgado em grupos de WhatsApp, o que gerou revolta de aliados. O MDB novamente publicou uma nota em que dizia se tratar de “jogo sujo de adversários”. O texto ainda afirma que após a “derrota acachapante nas urnas no 1° turno, há quem use dos piores artifícios da velha política para desinformar o eleitor”.

Já na tarde desta segunda-feira (16), a assessoria de Vanderlan enviou uma nota de esclarecimento à imprensa com críticas diretas a Daniel Vilela, presidente do MDB em Goiás e filho de Maguito e ao candidato a vice-prefeito, Rogério Cruz. O texto afirma que na ausência de Maguito, a coligação evitou ataques políticos, “mesmo quando os líderes da campanha de Maguito, sem autorização do candidato, doente, se aliaram a outros candidatos para atingir Vanderlan”, diz.

Em um dos pontos, a nota afirma que se há alguma dúvida sobre a “real condição” de Maguito, isso se dá pela “falta de transparência do presidente do MDB na condução da campanha”.  Além disso, Vanderlan reforçou em outro momento que “tem o dever de apresentar quem é o nosso opositor”, disse.

Guerra de notas

Já nesta terça-feira (17), novas declarações de Vanderlan Cardoso deixaram as lideranças do MDB irritadas. Vanderlan alegou novamente “falta de transparência” por parte de Daniel Vilela. Uma nota de repúdio assinada pelo presidente do MDB em Goiás, foi enviada à imprensa, criticando Vanderlan que, segundo o texto, “faltou com a verdade”.

Daniel que, está em São Paulo desde segunda-feira (16), diz que recebeu com perplexidade e indignação as declarações de Vanderlan. Daniel dispara que Vanderlan está desesperado e incapaz de promover um debate de qualidade sobre Goiânia.

“Como filho, causa indignação ter que desviar minha atenção para responder leviandades que envolvem minha família e ainda ter que ouvir do candidato que ele o faz por ‘amizade’ a Maguito. Não vou admitir este tipo de atitude covarde e nossa campanha vai acioná-lo judicialmente para que responda pelos seus atos”, diz o texto.

Presidente metropolitano do PSD responde críticas

O presidente metropolitano do PSD, Simeyzon Silveira, lamentou as declarações de emedebistas sobre as críticas de Vanderlan Cardoso. Simeyzon também cobrou maior transparência sobre a situação de saúde de Maguito, a exemplo do candidato pessedista. “Não somos nós que fazemos da doença uma oportunidade para esconder o vice”, respondeu o presidente metropolitano do PSD.

De acordo com ele, a campanha do MDB “desrespeita o eleitor”. “Acho difícil esperar isso por parte da campanha do MDB, que durante todo o primeiro turno usou a imagem do prefeito Iris Rezende em seus materiais de campanha, mesmo depois da maior liderança do partido afirmar, por várias vezes, que não apoiaria ninguém nessa eleição, inclusive o candidato deles”, criticou.

Deputados, Gustavo Mendanha e Talles Barreto rebatem Vanderlan

Também nesta terça-feira (17), Parlamentares de diversos partidos se mostraram contra Vanderlan durante sessão da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). Lucas Calil (PSD) disse torcer pela plena recuperação de Maguito Vilela e repudiou com veemência a declaração do senador, que é do seu partido. “Essa declaração fala muito, não só sobre o tom da campanha do senador, como da pessoa que demonstrou uma grande insensibilidade”.

O deputado Talles Barreto (PSDB), que disputou a eleição para a Prefeitura de Goiânia no primeiro turno, qualificou o ataque de Vanderlan como uma fala “desrespeitosa e deselegante”. Allyson Lima (Solidaridade) que, também foi candidato a prefeito, afirmou que vai se manter neutro no segundo turno e que deseja melhoras para Maguito Vilela. “Sinto muito que o candidato continue no estado que está, desejo melhoras a Maguito Vilela”, afirmou.

Além de parlamentares, o prefeito reeleito com 95% dos votos em Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB) também se manifestou por meio de um vídeo publicado nas redes sociais em que aponta que a campanha de Vanderlan Cardoso está explorando “eleitoralmente o estado de saúde do Maguito tentando confundir a população”.

Em nota, Vanderlan muda o tom do discurso

Em nota publicada no início da noite desta terça-feira (17), Vanderlan muda o tom que havia adotado nas declarações anteriores. O candidato diz que está “muito triste com o que tem acontecido”. “O que também me entristece, e é isso que tenho falado ao longo do dia, é que a situação deve ser tratada com transparência e honestidade”, destaca.

“A minha crítica não se dirige a Maguito, mas àqueles que não informam o seu estado de saúde de forma correta aos cidadãos. Os goianienses torcem pela recuperação dele e merecem acompanhar o quadro de forma verdadeira e transparente”, pontua o candidato. Esta foi a última publicação relacionada as polêmicas. Maguito segue internado no Hospital Albert Einstein para tratamento da covid-19.


Leia mais: Polícia Civil prende suspeito de ser mandante do duplo homicídio de advogados em Goiânia