27.8 C
Goiânia
sexta-feira, 24, setembro 2021
- Anúncio -

Campeão Goiano, Cléber Gaúcho revela estratégias para superar o Vila na final

Treinador comemora título goiano e fala sobre sucesso do Grêmio Anápolis na competição

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

O Grêmio Anápolis conquistou seu primeiro título de Campeonato Goiano sob comando de uma figura já conhecida em cenário estadual. Ex-jogador do Goiás, Cléber Gaúcho retornou ao futebol goiano, agora como treinador, para levantar mais uma taça. Ele comemora:

“É um título de grande importância para minha carreira, venho de títulos já no interior paulista, uma Copa Paulista com o XV de Piracicaba e agora com o Grêmio conquistar a Primeira Divisão do Goiano foi muito gratificante”.

Cléber Gaúcho, treinador campeão goiano, analisa a partida que garantiu a sua equipe o título estadual:

 “O Vila exerceu uma pressão normal no início do jogo, normal porque jogavam na sua casa. Mas as melhores chances desde o primeiro foram nossas. Fizemos um bom jogo, não desmereço em nada o Vila Nova, mas acho que poderíamos ter vencido no tempo normal até”.

Ele revela também como foi montada sua estratégia para segurar o Vila Nova no OBA: “Sabíamos que sem o Alan Mineiro a criação ficaria por conta do Arthur e do Dudu, então trabalhamos nossa marcação em cima disso e deu certo. Muita gente achou que viríamos aqui só para defender, mas não. Nossos atletas compraram meu plano de jogo, foram gigantes e conseguimos ser muito competitivos”.

Um fato que chamou muito a atenção foi a competência e o ótimo aproveitamento do Grêmio Anápolis nas cobranças de pênaltis. Contra o Atlético-GO, na semifinal, foram 13 cobranças com apenas 1 desperdício. Na final diante do Vila, 5 cobranças e 5 gols. O técnico Cléber Gaúcho revela que sempre teve essa preocupação ao preparar seus jogadores: “Começamos a cobrar pênaltis nos nossos treinamentos antes mesmo das quartas de final. Daí para frente, cada atleta batia 4 pênaltis por dia. Fizemos 938 cobranças de pênaltis até chegarmos aqui na final. Pênalti não é sorte não, é competência, estudo do adversário e muito treinamento”, comenta.


Leia mais: INÉDITO! Grêmio Anápolis derrota Vila Nova e é campeão goiano

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -