“Querem mostrar o que não tem, aliança com Iris não existe”, diz coordenador da campanha de Vanderlan

O ex-deputado explica que a campanha de Vanderlan no segundo turno não contará com nenhum ato que tenha “conotação festiva”.

0
Vanderlan Cardoso
Simeyzon também critica a interferência de membros do partido que estão tomando frente na campanha, como Daniel Vilela. (Foto: Reprodução)

O ex-deputado Simeyzon Silveira, presidente metropolitano do PSD e coordenador geral da campanha de Vanderlan Cardoso, criticou a postura do MDB de não participar de debates políticos e, de acordo com ele, “esconder o vice” Rogério Cruz. “Será que eles acham que o vice deles não tem condição de discutir Goiânia? Eu acho que tem”, sublinhou.

O coordenador da campanha de Vanderlan defende que haja debate entre os candidatos. Não somente em ideias, mas debates em veículos de comunicação. Segundo Simeyzon, o MDB já informou que não irá mandar o candidato a vice-prefeito, Rogério Cruz.

“O eleitor não merece uma campanha que esconde tudo. Primeiro escondiam o verdadeiro estado de saúde e hoje, por uma fala de Vanderlan, tiveram que mostrar a real situação. Uma vez na impossibilidade do candidato se apresentar, tem que colocar o vice e não ficar gerando expectativa de que o Maguito virá para campanha e isso não é a realidade”, diz.  

“Nós estamos chamando para que o vice do candidato vem discutir Goiânia. Uma vez que o candidato está em uma situação de impossibilidade, que tem que assumir esse protagonismo é o vice”, diz ele. Simeyzon também critica a interferência de membros do partido que estão tomando frente na campanha, como Daniel Vilela, filho de Maguito e presidente do MDB em Goiás. “Nós queremos debater Goiânia com a chapa do adversário, não com filho, A, B ou C”, pontua.

Aliança com Iris Rezende

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), declarou que não apoiaria ninguém no primeiro turno. Apesar do atual prefeito se manter neutro nas declarações, a campanha de Maguito utilizou vídeos e imagens antigas de Maguito junto a Iris, o que foi criticado por Simeyzon. “Eles escondem o que tem e querem mostrar o que não tem que, é a aliança com Iris Rezende, ela não existe”, afirma.

“Ficam a todo tempo tentando colar a imagem de Iris Rezende com imagens que não são atuais. O prefeito não deu nenhuma declaração para campanha deles”, diz. Segundo ele, entrevistas de Iris demonstram que o prefeito está visivelmente irritado com as ligações.

Simeyzon afirma que o MDB “Irista” está com Vanderlan. Para comprovar a afirmação, ele cita o ex-deputado Lívio Luciano que, assumiu a diretoria do DEM em Goiânia, partido do governador Ronaldo Caiado. Além disso, o coordenador cita o deputado estadual Bruno Peixoto, o senador Luiz do Carmo e o vereador Welington Peixoto, ambos membros do MDB, partido de Maguito Vilela. “Então o emedebista raiz que, de fato tem ligação com Iris, estão na campanha com Vanderlan”, argumenta.

Campanha não festiva

O ex-deputado explica que a campanha de Vanderlan no segundo turno não contará com nenhum ato que tenha “conotação festiva”. Segundo ele, a decisão é em respeito a situação do candidato adversário, Maguito Vilela. “Não vamos fazer carreata, barulho, música, bandeira, porque o momento não cabe isso”, diz. Simeyzon também critica a campanha da coligação “Pra Goiânia Seguir Em Frente” pois, na visão dele, “é estranho o candidato na UTI e eles na rua fazendo festa”.


Leia mais: Lei Orçamentária para 2021 em Aparecida terá R$ 87 milhões a menos que o previsto