Polícia Civil procura mentor intelectual de golpes aplicados via WhatsApp, em Goiás e DF

Três pessoas presas pela PC na última sexta-feira (11), são apontadas como intermediárias de golpe que gerou prejuízo de R$ 50 mil à idosa.

0
Golpe do WhatsApp
Após breve troca de mensagens, pede dinheiro emprestado algumas vezes até que a vítima perceba que quem está falando é um golpista. (Foto: PC)

A Polícia Civil de Goiás, realizou a prisão em flagrante na sexta-feira (08) de três pessoas pela participação, em tese, no golpe conhecido como “Golpe do Novo Número”. Criminosos induzem da vítima a acreditar que está falando com algum familiar ou conhecido pelo WhatsApp. Após breve troca de mensagens, pede dinheiro emprestado algumas vezes até que a vítima perceba que quem está falando é um golpista utilizando o que pode se chamar de “conta espelho”.

De acordo com o que a Polícia Civil tem percebido, o mentor deste golpe, visando dificultar sua identificação e a recuperação dos valores, tem se valido de partícipes do crime, os quais aceitam auxiliar na prática criminosa agenciando terceiros e emprestando ou vendendo contas bancárias para o recebimento dos valores produto do crime.

No caso dos três que foram presos na última semana, um homem e uma mulher são titulares de contas bancárias beneficiárias por três transferências bancárias cujo somatório do prejuízo foi de aproximadamente R$ 50 mil, produto do crime, além do agenciador das contas bancárias. Eles foram presos nos bairros Parque Oeste Industrial e Bairro Goiá. A vítima do DF tem 69 anos.

Outros partícipes já foram identificados e a Polícia Civil trabalha para prender o mentor intelectual do crime que, ao que tudo indica, compõe uma organização criminosa especializada na prática deste golpe. Os autuados foram recolhidos na Central Geral de Flagrantes e Pronto Atendimento ao Cidadão (CGFPAC) e, comunicada sua prisão, passaram à disposição da Justiça.


Leia mais: “Daniel Vilela é meu candidato ao governo do estado em 2022”, diz Delegado Waldir