“Daniel Vilela é meu candidato ao governo do estado em 2022”, diz Delegado Waldir

Waldir reafirma oposição a Ronaldo Caiado (DEM) e diz que o PSL levou “um chute no traseiro” após apoiar o então candidato a governo em 2018.

0
Delegado Waldir
O deputado relata que foi convidado por Daniel para fazer parte da gestão da Prefeitura de Goiânia. (Foto: Câmara dos Deputados)

Em entrevista ao Jornal Bandeirantes desta segunda-feira (11), o deputado federal, Delegado Waldir Soares (PSL), falou sobre os resultados do PSL nas Eleições 2020, sobre a proximidade com o MDB e um possível apoio a Daniel Vilela enquanto candidato a governador de Goiás em 2022. Waldir reafirma oposição a Ronaldo Caiado (DEM) e diz que o PSL levou “um chute no traseiro” após apoiar o então candidato a governo em 2018.

O deputado relata que foi convidado por Daniel para fazer parte da gestão da Prefeitura de Goiânia. “Nós temos algumas ideias, fui candidato a prefeito em 2016. Temos ideias brilhantes na área do Meio Ambiente, Segurança Pública e Saúde”, diz Waldir. Segundo ele, nenhum nome foi indicado ainda e, espera o prefeito interino, Rogério Cruz (Republicanos), apontar onde a atuação do partido se encaixa na gestão.

Delegado Waldir também reforça oposição a Ronaldo Caiado e afirma que o PSL deverá apoiar o MDB nas próximas eleições, em 2022. “Nós fizemos dezenas de parcerias com o MDB no estado, Itumbiara, Jataí, elegemos juntos vários prefeitos. O PSL hoje faz oposição ao governo do estado, mesmo tendo ajudado a eleger um governador, nós levamos um chute no traseiro. A oposição para mim hoje é representada por Daniel Vilela que, é o meu candidato ao governo do estado em 2022”, afirma.

Em número de filiados, o PSL foi o que mais cresceu em Goiás nos últimos anos. Em 2019, o PSL possuía 12.735 filiados. Já em 2020, o número subiu para 19.372, o que representa um aumento de 52%. O partido elegeu cinco prefeitos e 70 vereadores nas Eleições 2020.

Volta de Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixou o PSL em 2019, após anunciar a criação de um novo partido, o Aliança Pelo Brasil, encabeçado no estado de Goiás pelo deputado estadual Vitor Hugo (PSL). De acordo com Waldir, Bolsonaro foi enganado e demonstra vontade de voltar ao Partido Social Liberal (PSL).

“O presidente tomou uma decisão, nos últimos meses até manifestou esse arrependimento em ter saído do partido. Tem acenado uma possível volta, isso tem sido dialogado entre o filho dele, Flávio Bolsonaro e nosso vice-presidente nacional, Antônio de Rueda”, diz Waldir.

Waldir acusa advogados de Jair Bolsonaro e parlamentares aliados, de o terem “enganado”. Segundo Waldir, os mesmos estavam “vendendo terreno na lua, enganando as pessoas” sobre o Partido Aliança pelo Brasil. “Se por acaso o presidente estivesse no PSL ou em outro partido, ele teria eleito um grande número de prefeitos e vereadores”, argumenta.


Leia mais: Enem 2020: veja as regras estabelecidas para evitar contágio pelo coronavírus