Novos tamanhos e modelos de família levam mudanças para o mercado imobiliário

0

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na década de 60 a grande maioria das famílias brasileiras era composta por oito membros. Mas atualmente, conforme o estudo “Fotografia do Brasil”, da Globo Sintonia, feito com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2018, a média de pessoas por domicílio não chega a 3 pessoas (2,9).

O tradicional modelo de famílias com quatro integrantes ou mais representa 33% dos arranjos familiares o Brasil, mas o restante, 67%, é formado grupo familiares menores. Para se adaptar essas mudanças, as moradias também mudam e novo projetos tentam se adaptar às novas configurações das famílias brasileiras.

O levantamento do Pnad aponta que 15% dos domicílios no país são de apenas um morador, 26% são compostos por dois ou três membros. Já famílias constituídas por quatro integrantes ou mais correspondem a 33%.

Essas mudanças têm um grande impacto no mercado imobiliário. Nesse sentido, os modernos empreendimentos residências seguem a tendência de desenvolver projetos que contemplem as necessidades desses diferentes tamanhos de famílias.

Com apartamentos e casas com dois quartos em local privilegiado na região leste Goiânia, o Residencial Souza Bravo, por exemplo, é uma boa opção para o novo padrão de famílias brasileiras.

São 90 apartamentos e 10 casas em um condomínio completo com playground, salão de festas, portaria monitorada e outras comodidades. A entrada para comprar o apartamento, que estará com a primeira torre pronta em junho de 2020, é de R$ 5 mil com parcelamento sobre restante até a entrega das chaves.