29.7 C
Goiânia
sexta-feira, 3, dezembro 2021
- Anúncio -

Manifestação cobra vereadores garantia do isolamento social enquanto estudos apontam para o crescimento da covid-19 em Goiânia

Segundo o Sindsaúde, com mais vírus circulando o pico da contaminação por covid-19 previsto para o mês de julho em Goiás, irá agravar de forma exponencial a demanda por leitos.

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Advertisement -

O Sindsaúde e entidades que fazem parte do Comitê Goiano em Defesa dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Saúde e de Enfrentamento a Pandemia do COVID–19 e a Mesa Diretora do Conselho Municipal de Saúde de Goiânia, realizam uma manifestação, nesta sexta-feira (5), na Câmara Municipal de Goiânia.

O objetivo é cobrar uma posição do Legislativo goiano, com relação a flexibilização do isolamento social e além disso, cobrar maior participação destas entidades nas discussões que envolvem medidas proteção e garantia de vida para os trabalhadoras e população, na pandemia da covid-19.

De acordo com a organização, no ato serão tomados todos os cuidados preconizados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como uso de máscaras de proteção, distanciamento e manifestantes que não pertencem ao grupo de risco.

“O que a gente quer é sensibilizar o legislativo goiano com relação a flexibilização do isolamento social. A gente precisa ter uma flexibilização que aconteça de forma responsável, planejada e que envolva a participação dessas entidades (entidades de saúde), nas discussão que visam medidas de proteção e garantia da vida principalmente dos trabalhadores da saúde”, revelou a presidente do Conselho Regional de Farmácia, Lorena Ba

O protesto, que é parte da Campanha “Eu Defendo A Saúde”, contará com arte cênica simbólica, para demonstrar os riscos da quebra do isolamento social e abertura do comércio na capital e em todo o Estado. Segundo o Sindsaúde, com mais vírus circulando o pico da contaminação por covid-19 previsto para o mês de julho em Goiás, irá agravar de forma exponencial a demanda por leitos, respiradores, equipamentos de proteção individual e coletivos, EPIs e EPCs, oxigênio, aumento o números de contaminados e de mortes, inclusive entre os trabalhadores da saúde. 


Leia mais: Covid-19: Goiás passa dos 5 mil infectados; destes, quase 170 faleceram com a doença

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -