Foi aprovada greve para o transporte coletivo da Região Metropolitana de Goiânia

Presidente do Sindicoletivo diz que já são 21 mortes de profissionais da categoria

0

Os motoristas do transporte coletivo da Região Metropolitana de Goiânia (RMG) anunciaram que entrarão em greve a partir da meia-noite de sexta-feira (9). A assembleia ocorreu na manhã deste sábado (3).

“Decidimos parar na sexta-feira (9) e teve colegas que também participaram de maneira virtual, que já tinham confirmado, e decidimos que será greve geral”, afirmou o presidente do Sindicato Intermunicipal de Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Goiânia e Região Metropolitana (Sindicoletivo), Sérgio Reis, em entrevista à Rádio Bandeirantes Goiânia, neste sábado (3).

Segundo Sérgio Reis a única reivindicação da categoria é de ser colocada como grupo prioritário para receber a vacina contra a covid-19 o mais rápido. O presidente disse que já são 21 mortes e 300 casos de coronavírus em trabalhadores do transporte coletivo.

“A priridade é só essa no momento. No dia 13 nós tivemos uma audiência com a superintendência e o SET [Sindicato das Empresas de Ônibus] prometeu levar uma reivindicação de aumento de salário, mas não está sendo discutido no momento isso aí, na verdade a prioridade agora no momento é essa vacina, pois nossos trabalhadores de uma maneira geral estão sendo acometidos pela covid-19, muitas baixas”, explicou.

Sérgio Reis disse que desde o início quando surgiu as primeiras vacinas eles reivindicaram que fossem colocados na lista de grupos prioritários para serem vacinados, no entanto não foram atendidos. Reis destacou que nesta semana, após rumores de greve, o governador Ronaldo Caiado citou que os trabalhadores poderiam entrar no grupo prioritário.

“Desde o início da pandemia a gente pediu uma atenção especial logo que surgiu as primeiras vacinas, mas não houve nenhum retorno a essas reivindicações. Quando falamos nessa greve, esta semana, o governador andou citando que ia vacinar os motoristas, mas nada oficial”, destacou.

O presidente disse ainda que se antes da greve houver alguma sinalização por parte das autoridades atenderem a esse pedido do Sindicoletivo, a categoria fará outra assembleia para revogar a greve marcada para quinta-feira.

Procurado pela Rádio Bandeirantes Goiânia, o Sindicato das Empresas do Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia (SET) disse que já se posicionou acerca da reivindicação da vacinação aos trabalhadores desta área.

“Da mesma forma que foi anunciado pelo Governador do Estado de Goiás para a Polícia Militar, esperamos que o mesmo possa ser feito com os motoristas e demais profissionais, que têm dado sua contribuição diária na manutenção do serviço de transporte público, essencial para a mobilidade das cidades. Nós estamos trabalhando, inclusive, junto ao poder público para que isso aconteça”, disse o presidente do SET, Adriano Oliveira.


Leia mais: Governo de Goiás antecipa distribuição de vacinas contra a Covid-19