20.8 C
Goiânia
terça-feira, 7, dezembro 2021
- Anúncio -

Fala de secretária sobre bônus de professores da rede estadual gera dúvida e polêmica

A secretária não fala diretamente se vai cortar este bônus agora em dezembro, mas voltou a lembrar do resultado negativo

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Advertisement -

Após baixa na frequência dos alunos goianos no primeiro dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a secretária da Secretaria de Estado de Educação em Goiás (Seduc), Fátima Gavioli, disse que o resultado foi “gravíssimo” e sua fala gerou dúvida aos professores que esperam receber o bônus do estado no pagamento de dezembro.

Segundo Gavioli, a frequência dos alunos não chegou a 70%, por essa razão pode haver uma alteração no valor do bônus para os educadores.

“Goiás não foi bem nas avaliações do Enem, só para deixar todos a par, que já estamos tendo que alterar a legislação e o valor do bônus porque infelizmente a frequência dos alunos não chegou a 70%, esse é o primeiro assunto que quero falar com vocês. Se o bônus é por produtividade, evidentemente, eu esperava que a frequência dos alunos no Enem acompanhasse a frequência do Sael e do Saep e não foi o que aconteceu. Tivemos uma ausência de estudantes muito alta, gravíssima”, pontuou a secretária em vídeo que a Bandeirantes teve acesso.

O primeiro dia de prova do Enem ocorreu no último domingo (21) e de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Goiás ficou na antepenúltima colocação com 32,1% de faltosos, ficando à frente apenas de Roraima com 32,4% e Amazonas com 40,6%.

As falas da titular da Seduc preocuparam os professores, que começaram a reivindicar nas redes sociais uma explanação de Gavioli. De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego), Bia de Lima, disse que a fala da secretária causou insatisfação nos professores.

“Na verdade os professores entenderam que era em função da Sael e Saep, e os professores entenderam e a secretária viu que houve um alto índice de abstenção e fez esse vídeo que gerou toda essa insatisfação na categoria”, disse Bia.

Ainda segundo Bia de Lima, ela já está em contato com a secretária para que haja uma solução para este problema, como um engajamento por parte dos professores para que eles possam incentivar os alunos a comparecer neste segundo dia de prova, que será no próximo domingo (28) e, assim, não prejudicar no pagamento do bônus.

A secretária não fala diretamente se vai cortar este bônus agora em dezembro, mas voltou a lembrar do resultado negativo.

“Eu iria fazer o pagamento integral do bônus de acordo com a frequência dos alunos e acho que vocês devem estar sabendo já, nós ficamos como pior do Brasil em frequência de alunos no Enem”, pontuou. 

Ainda de acordo com Fátima, a demanda de alunos foi mais baixa que em estados onde a precariedade na infraestrutura é grande.

“Goiás perdeu para estados onde os alunos tem que pegar um barco para fazer a prova como é o estado do Acre. Nós tivemos menos alunos que o Acre, menos que o Nordeste, Sul e Sudoeste eu não vou nem falar.  Isso foi um susto, eu achei que todo mundo estava muito articulado e preparado para a prova do Enem em relação a frequência”, frisou.


Leia mais: Alemanha cogita vacinação obrigatória diante de aumento da covid-19


- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -