Estado de saúde do ator Paulo Gustavo é de extrema gravidade, diz boletim médico

Ator está internado no Rio de Janeiro, desde o dia 13 de março

0
Foto: divulgação/redes sociais.

O ator Paulo Gustavo sofreu “complicações graves” no seu quadro de saúde. A informação foi divulgada após o boletim médico desta segunda-feira (3). Ontem, o artista chegou a ter redução nos sedativos, acordou e interagiu com os médicos. Mas acabou tendo essa piora hoje.

A equipe médica que atende Paulo identificou uma embolia gasosa, que é, segundo os médicos, o bloqueio de vasos sanguíneos por bolhas de ar. No caso do comediante, a embolia atingiu o sistema nervoso.

“À noite, subitamente, houve piora acentuada do nível de consciência e dos sinais vitais, quando novos exames demonstraram ter havido embolia gasosa disseminada, incluindo o sistema nervoso central, em decorrência de uma fístula bronquíolo-venosa. Infelizmente, a situação clínica atual é instável e de extrema gravidade”, diz trecho do boletim médico.

O ator está internado no Rio de Janeiro, desde o dia 13 de março, após ser infectado pela covid-19. Ele foi intubado no dia 21. Paulo, no entanto, continuou a apresentar piora do quadro respiratório e, no dia 2 de abril, a equipe médica decidiu submetê-lo à terapia por ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea) na UTI, uma técnica também conhecida como pulmão artificial que auxilia na oxigenação do sangue.

Já no dia 4 e, depois, no dia 9 de abril, o ator passou por procedimentos por via endoscópica (toracoscopia) para corrigir fístulas bronco-pleurais, uma comunicação anormal entre brônquios e pleura, a membrana dos pulmões, que permite o vazamento de ar. de acordo com os médicos que atendem Paulo.

Em 26 de abril, último boletim médico divulgado, os médicos informaram que uma nova pneumonia bacteriana havia sido identificada. À época, os médicos estavam otimistas, acreditavam que o problema estava sendo tratado de forma eficiente e falavam em “evidências de melhora na função pulmonar”.


Leia mais: Depois de várias demissões, Sindibares volta a realizar novas contratações para o setor