Escalonamento em Aparecida contribuiu para reduzir casos de covid-19 e manter o comércio aberto

A vacinação em Aparecida de Goiânia pode ter sido fundamental para a redução de casos de covid-19 em idosos

0
Alessandro Magalhães ressalta que o escalonamento foi importante para reduzir os casos de covid-19. Foto: divulgação/redes sociais.

O secretário de Saúde de Aparecida de Goiânia, Alessandro Magalhães, disse que as estratégias que foram adotadas pela prefeitura para combater a pandemia da covid-19 e ao mesmo tempo preservar a economia do município e empregos da população foram corretas e importantes. Segundo o gestor, o escalonamento teve papel fundamental para diminuir os casos.

“Principalmente três resultados: o primeiro é a taxa de transmissão o nosso RE hoje está na faixa 0.98, quando a gente iniciou ele chegava a 1.3, então a gente percebeu uma desaceleração que resultou numa redução da pandemia no município. O segundo é a taxa de ocupação no leito de UTI, onde Aparecida lá naqueles primeiros 14 dias chegou a ter uma taxa próxima de 100% e que hoje ela tá numa média em torno de 75%. E o terceiro é que a gente percebeu um índice de positividade do PCR, hoje a média é de 20% e lá no início era de 31%. A média móvel mostra uma redução nos últimos sete dias de 18%. Então esses três pontos mostram que a gente conseguiu com os escalonamentos conter a transmissão do vírus no município, desacelerar a pandemia e desafogar o sistema de saúde municipal”, explica o secretário em reportagem ao Diário de Goiás.

Alessandro destaca que a população aderiu bem ao escalonamento, respeitou os protocolos e desta forma a secretaria consegue rastrear os infectados e tomar iniciativas visando mitigar os impactos da covid-19 na cidade.

“Os dados mostram que são bem palpáveis, e o que a gente percebe com esse modelo de Aparecida é que há uma previsibilidade que a gente tem, é possível enxergar o que podemos fazer, como se comportar e também a adesão, a gente percebe uma adesão maior com o escalonamento em detrimento a outro modelo, então isso nos ajuda a manter o distanciamento”, pontua.

Ainda de acordo com o secretário, existe a expectativa de que o mês de abril tenha menos casos de covid-19 do que março, que foi o mês mais letal em todo o país desde o início da pandemia.

“A expectativa nossa é essa, agora a gente tem um cenário que a gente tá monitorando, que é somente até o momento que é o feriado da Páscoa e também o momento daqueles 14 dias que o estado de Goiás viveu quase por completo e isso pode impactar no mês de abril aqui dentro de Aparecida, até porque nós somos limítrofes com outros municípios”, esclarece.

O titular da Saúde em Aparecida alerta para a variante causadora de mais casos de coronavírus em Goiás que, segundo ele, é mais letal.

“Um ponto a ser levado em consideração é que essa nova variante é mais letal, tem acometido pacientes mais jovens e tem matado mais”, afirma o secretário.

Alessandro Magalhães acredita que a vacinação no município foi fundamental para a redução de casos da doença em Aparecida.

“Isso ainda precisa de um estudo, mas olhando a gente percebe que a vacinação impactou nos casos de internações desses idosos, a gente percebe um número menor na demanda por leitos para a faixa etária de 80, 70 anos para cima, isso eu credito à vacinação”, completa.


Leia mais: Aparecida amplia vacinação para idosos acima de 61 anos, a partir desta sexta-feira