30.8 C
Goiânia
sábado, 31, julho 2021
- Anúncio -

Entenda a aplicação das sobras de vacinas (xepa) contra a Covid-19 em Goiânia

De acordo com a Prefeitura de Goiânia, cada local de vacinação faz uma relação das pessoas, dentro dos grupos prioritários, interessadas em tomar a vacina e, quando sobra alguma dose, elas são avisadas por telefone.

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Quando um frasco de vacina contra a Covid-19 é aberto, há um prazo de validade para a aplicação no paciente. Ao final do expediente, alguns fracos tem sobras, conhecidas como “xepa”. De acordo com a Prefeitura de Goiânia, cada local de vacinação faz uma relação das pessoas, dentro dos grupos prioritários, interessadas em tomar a vacina e, quando sobra alguma dose, elas são avisadas por telefone.

Em alguns pontos, formam-se filas de pessoas interessadas em receber a xepa de algum dos imunizantes. Ainda segundo nota da prefeitura, “diariamente sobram pouquíssimas doses, uma vez que a vacinação ocorre por agendamento”. No caso da AstraZeneca, ela retorna para a Rede de Frio, pois o frasco pode ficar até 48 horas aberto, ou seja, é utilizado no dia seguinte.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes Goiânia, a diretora de vigilância epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), Grécia Pessoni, explicou como funciona a aplicação da xepa. Segundo ela, pelas particularidades e poucas doses que sobram, é mais viável procurar o diretor do ponto de imunização e aguardar para ser chamado, sem a necessidade de formar fila.

Critérios para aplicação da xepa

Grécia Pessoni explica que a SMS define critérios que visam priorizar grupos de risco com as doses que sobram ao final do dia. “O primeiro critério é atender aquelas pessoas de grupos de risco que não conseguiram agendar, pessoas que tem dificuldades em utilizar o sistema ou as vezes não tem um celular com internet”, explica a diretora. “Neste momento, são as pessoas com 50 anos ou mais e pessoas dos grupos prioritários. Então todas essas podemos atender com a xepa”, completa.

Outro critério, segundo Grécia, é atender duas faixas-etárias além das que já estão se vacinando. “Se sobrar doses, posso atender as pessoas de 49 e 48 anos, sempre obedecendo o critério do mais velho para o mais novo e do grupo de risco”, ressalta. Apesar da possibilidade de aplicação, a diretora revela que a quantidade de doses que sobra é pequena, e na maioria das vezes não atende todas as pessoas que estão na fila.

“Já vi alguns pontos de vacinação formando filas com 20 pessoas, mas nunca sobra essa quantidade. O frasco que tem mais doses é da CoronaVac, tem dez doses e vale 6 horas após aberto. O máximo que vai sobrar são oito doses de um frasco, após às 17h”, diz. Ainda de acordo com ela, os frascos da Pfizer tem apenas cinco doses, ou seja, dificilmente sobra alguma dose no final do dia.

AstraZeneca

Os frascos da AstraZeneca são os que valem mais tempo abertos (48 horas). Entretanto, apesar da sobra, as doses do imunizante produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), são aplicadas no dia seguinte pois ainda estão no prazo de validade após a abertura do frasco. “Se eu abrir aquela vacina às 16h e utilizar apenas duas doses, essas outras oito doses serão utilizadas no dia seguinte. Então essas doses que sobram são muito poucas”, diz Grécia.

Ouça a entrevista completa com Grécia Pessoni, diretora de vigilância epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS):


Leia mais: Prefeitura de Goiânia retoma encabeçamento do viaduto da Leste-Oeste

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -