33.8 C
Goiânia
sexta-feira, 24, setembro 2021
- Anúncio -

Em reunião com Queiroga, Caiado contesta a compra de 30 milhões de doses pelo Governo de São Paulo

Caiado pediu à Queiroga que isso fosse observado, tendo em vista que todos os estados estão seguindo a distribuição do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

O governador Ronaldo Caiado (DEM) e o secretário de estado da Saúde, Ismael Alexandrino, participaram, nesta terça-feira (13), de reunião com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. O encontro, realizado de forma remota, também contou com a presença de outros governadores e foi inteiramente pautado sobre a vacinação no Brasil.

De acordo com Ismael Alexandrino, foi discutida uma prévia do calendário de entrega de vacinas no País. “A previsão é de que, em julho, sejam entregues 41 milhões de unidades aos estados. Para agosto, são esperadas 68 milhões de doses”, detalhou. Ele ressaltou, ainda, que “para julho a expectativa é boa. Para agosto melhor ainda”.

Além disso, o governador Caiado se posicionou em relação ao anúncio de que o Governo de São Paulo terá 30 milhões de vacinas extras para que, até 20 de agosto, complete o calendário. Caiado pediu à Queiroga que isso fosse observado, tendo em vista que todos os estados estão seguindo a distribuição do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

“Nós entendemos que há uma diferença entre a população de um estado e outro, mas não desse montante de 30 milhões de doses que possibilitaria uma unidade antecipar radicalmente a campanha. Isso geraria uma desigualdade da cobertura vacinal no País, algo que não é previsto pelo PNI”, defendeu Ismael Alexandrino. Ainda segundo ele, o Ministério da Saúde (MS) informou que enviará um retorno sobre o assunto para o próprio governador Caiado.

“Independentemente da forma que essas vacinas entraram no Brasil, se adquiridas, doadas ou fruto de um determinado acordo, não há justificativa para que uma unidade as tenha em detrimento das outras”, ponderou o secretário. “Essas doses devem ser compensadas, de alguma forma, na distribuição global do Programa Nacional de Imunizações para os demais estados”, observou.

Acordo com o Butantan

O Governador João Doria (PSDB) anunciou no último domingo (11) a antecipação de 26 dias na data final para vacinar toda a população com mais de 18 anos com ao menos uma dose contra a COVID-19. O adiantamento para 20 de agosto foi viabilizado com a compra de 30 milhões de doses extras. A vacina será a Coronavac para uso nos 645 municípios paulistas.

“Com mais vacinas prontas, vamos garantir o cumprimento deste novo cronograma de imunização em São Paulo”, afirmou Doria. “Daqui a 40 dias, todos os adultos que vivem em São Paulo e podem ser vacinados estarão com pelo menos uma dose de vacina no braço”, acrescentou.


Leia mais: Prefeitura de Goiânia irá penalizar quem se recusar a receber a vacina anticovid por causa de marca

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -