Éder pede que Atlético use eliminação “como combustível” para demais competições

Zagueiro lamenta eliminação no Goiano, mas acredita que grupo saberá utilizar o fato como combustível para Sul-americana, Brasileiro e Copa do Brasil

0
Zagueiro já mira Sul-americana e Brasileirão após queda no Goiano (Foto: Comunicação / ACG)

O Atlético não tem tempo para lamentar a recente eliminação na semifinal do Campeonato Goiano. Após o revés sofrido para o Grêmio Anápolis, o time já entra em campo nessas quarta-feira (12), contra o Palestino-CHI, pela sequência da Copa Sul-americana. O Dragão é líder do Grupo F com 7 pontos, um a mais que o vice-líder Libertad.

Sabendo da importância do jogo, o zagueiro Eder admite uma lamentação profunda pela queda no Goianão, porém ressalta que o grupo pode utilizar essa força para evoluir nas demais competições da temporada:

“Foi uma queda difícil de aceitar, vínhamos numa sequência muito boa de vitórias e uma eliminação assim é bem dolorosa. Mas, nosso grupo é maduro o suficiente para absorver isso e usar como combustível para as outras competições. Falei para o grupo que estamos só no início da temporada, temos Sul-americana, Copa do Brasil e Brasileiro. Hora de virar a chave”.

Ele continua: “Procuro sempre ver o lado bom de tudo que acontece. Queríamos muito ir à final do Goianão, um tricampeonato era muito importante para o clube e para nós jogadores. Mas, já que a eliminação aconteceu, precisamos tirar as lições e entender que tem o lado também de diminuir nossa sequência de jogos. Teremos mais tempo para treinar, para ajustar o time e nos preparar melhor para as demais competições”.

Duelo importante

Analisando o próximo adversário, Éder rechaça, mesmo que o Palestino ainda não tenha pontuado na competição, o duelo contra os chilenos seja o “mais fácil” para o Atlético visando a classificação à próxima fase. O zagueiro lembra das dificuldades que o time enfrentou no Chile e pede atenção total:

“Aqui no grupo tratamos o Palestino exatamente como tratamos o Libertad, sabemos que não tem adversário mais difícil que o outro, se der mole complica mesmo. Independente de quem está do outro lado, não podemos vacilar. O jogo lá (no Chile) foi difícil demais, o time deles pressiona muito, temos que estar no mais alto nível de preparação mais uma vez”, finaliza.

A partida acontece no Estádio Antônio Accioly, às 21h30, pela quarta rodada da Sul-americana. Uma vitória colocaria o time goiano muito próximo da classificação para a fase mata-mata.


Leia mais: Rafael Moura e Goiás negociam e atacante pode voltar