“Bandido não dita ordem no meu Estado”, diz Caiado sobre rebelião em presídio de Aparecida

0
Foto: Reprodução

O governador Ronaldo Caiado comentou, nesta sexta-feira (19), sobre o princípio de motim na Penitenciária Odenir Guimarães (POG). “Bandido não dita ordem no meu Estado”, garantiu o chefe de estado, após equipes policiais controlarem a situação no Complexo Prisional, em Aparecida de Goiânia.

Segundo o governador, recuperar a segurança pública no Estado causa incômodo àqueles que tinham verdadeiros ‘bunkers’ nesses locais. “É lógico que eles não terão esse conforto”, disse Caiado em entrevista ao Mais Goiás.

Questionado se poderia trocar o comando da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), uma das reivindicações dos detentos, o governador assegurou que não irá ceder. “Goiás não vai aceitar esse tipo de pressão que existiu durante 20 anos. Aqui tem segurança pública e tem ordem. Não somos coniventes com esse nível de bandalheira”, reiterou.

Caiado reforçou sua autoridade diante da situação. “Vamos deixar claro que quem governa o Estado sou eu, governador e comandante em chefe da polícia. Já foi a época em que Goiás era comandado por quadrilhas. Agora, é governado por quem tem credibilidade moral para tomar decisões”, acrescentou.

Sobre a reclamação de alimentação inadequada para os presos, o governador disse que a informação não procede. “Não tem a menor seriedade o que alegam”, reafirma.

O motim ocorreu um dia após a morte de um agente prisional e da mulher dele na entrada do complexo prisional. Em menos de 12 horas, as forças de segurança identificaram os suspeitos.

Com informações da Secom de Goiás

Leia mais: Rebelião em presídio de Aparecida de Goiânia termina com 2 presos feridos