André Mendonça é nomeado novo ministro da Justiça; Ramagem vai para direção da PF

0
Foto: José Cruz/ Agência Brasil

O governo federal publicou na madrugada desta terça-feira (28), por meio do Diário Oficial da União, a nomeação de André Luiz Mendonça, atual titular da Advocacia-Geral da União como novo ministro da Justiça e também Alexandre Ramagem, atual diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), como novo diretor-geral da Polícia Federal (PF).

As nomeações são assinadas apenas pelo presidente Jair Bolsonaro.

Mendonça vai substituir o ex-juiz federal Sérgio Moro na pasta de Justiça e Segurança Pública enquanto Ramagem substitui o ex-diretor da PF, Marcelo Valeixo.

André Mendonça é pós-graduado em direito pela Universidade de Brasília (UnB) e pastor na Igreja Presbiteriana Esperança, em Brasília. Antes o cargo de ministro da AGU, ele atuou como corregedor-geral do órgão, entre 2016 e 2018.

Já Ramagem é delegado da PF e trabalhou como segurança de Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018. Desde então, ele criou uma relação de amizade próxima com a família e assumiu a Abin desde julho de 2019.

Ao deixar o Ministério da Justiça, na última sexta-feira (24), Moro acusou o presidente de realizar uma possível “interferência política” na Polícia Federal após exonerar Valeixo.

Veja a biografia dos novos nomeados:

André Mendonça

André Mendonça, de 46 anos, é natural de Santos, em São Paulo, advogado, formado pela faculdade de direito de Bauru (SP). Ele também é doutor em estado de direito e governança global e mestre em estratégias anticorrupção e políticas de integridade pela Universidade de Salamanca, na Espanha; é pós-graduado em direito público pela Universidade de Brasília.

É advogado da União desde 2000, tendo exercido, na instituição, os cargos de corregedor-geral da Advocacia da União e de diretor de Patrimônio e Probidade, dentre outros. Recentemente, na Controladoria-Geral da União (CGU), como assessor especial do ministro, coordenou equipes de negociação de acordos de leniência celebrados pela União e empresas privadas.

Alexandre Ramagem

Alexandre Ramagem, que exercia o cargo de diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), é graduado em direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Ingressou na Polícia Federal (PF) em 2005 e atualmente é delegado de classe especial. Sua primeira lotação foi na Superintendência Regional da PF no estado de Roraima.

Em 2007, ele foi nomeado delegado regional de Combate ao Crime Organizado. Ramagem foi transferido, em 2011, para a sede do PF em Brasília, com a missão de criar e chefiar Unidade de Repressão a Crimes contra a Pessoa. Em 2013, assumiu a chefia da Divisão de Administração de Recursos Humanos e, a partir de 2016, passou a chefiar a Divisão de Estudos, Legislações e Pareceres da PFl.

Em 2017, Ramagem foi convidado a integrar a equipe de policiais federais responsável pela investigação e Inteligência de polícia judiciária no âmbito da operação Lava Jato. A partir das atividades desenvolvidas, passou a coordenar o trabalho da PF junto ao Tribunal Regional Federal da 2ª Regional, com sede no Rio de Janeiro.

Em 2018, assumiu a Coordenação de Recursos Humanos da Polícia Federal, na condição de substituto do diretor de Gestão de Pessoal e depois foi nomeado para a Coordenação de Segurança do então candidato e atual presidente da República, Jair Bolsonaro.

Leia mais:

Moro rebate acusações de Bolsonaro e expõe conversas no Whatsapp

*Com informações da Agência Brasil