“Agricultura não é incompatível com a conservação ambiental”, afirma professor

0

No Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado nessa quarta 05, o Jornal Bandeirantes abordou o tema sustentabilidade e agronegócio com o professor da Escola de Engenharia Civil e Ambiental da Universidade Federal de Goiás, Emiliano Lôbo Godoi.

Lôbo acredita que a agricultura não é incompatível com a conservação ambiental. Tudo depende de como a atividade está sendo desenvolvida. Ele cita, por exemplo, o sistema de irrigação, que em muitas vezes é criticado e apontado como vilão do meio ambiente. 

O professor rebate essa ideia e aponta a irrigação como uma das formas de sustentabilidade, desde que seja feito conforme a indicação técnica.  Para Lôbo, “o culpado pelo mau uso do sistema não é o equipamento, e sim o seu gestor”.

Rio Araguaia

Por ocasião da data os governos de Goiás e Mato Grosso, com o Governo Federal, lançam hoje o programa “Juntos pelo Araguaia”. O projeto tem a intenção de recuperar a bacia do rio, que segundo o professor de Engenharia Civil e Ambiental da UFG é o maior corredor de biodiversidade do país.

Emililano Lôbo reconhece a importância do projeto, mas lembra que em outras três ocasiões em 1991, 1997 e em 2004 projetos semelhantes também foram lançados. Para ele é preciso resultado.

Segundo o Governo de Goiás, o projeto deve custar cerca de R$500 milhões de reais. R$100 milhões devem vir do Ministério do Meio Ambiente que teria autorizado a conversão deste valor em multas aplicadas pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) para o programa.  Os outros R$400 milhões serão divididos entre os estados de Goiás e Mato Grosso.

Semana do Meio Ambiente

Durante a Semana do Meio Ambiente, várias atividades estão sendo realizadas na Universidade Federal de Goiás com a finalidade de aproximar a população do tema.

O professor lembra que a questão ambiental não respeita limite geográfico e que todas as práticas, boas ou ruins, retornam para nós.   

Ouça a entrevista.

Entrevista Professor da Escola de Engenharia Civil e Ambiental da Universidade Federal de Goiás, Emiliano Lôbo Godoi