24ª Parada do Orgulho LGBTIQ+ de Goiânia cobra mais democracia e direitos

0

Do marco zero da capital, na Praça Cívica,  é que Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgênero, Queer/Questionando, Intersexo, Assexuais/ Arromânticas/ Agênero, Pan/Poli, e mais, vão caminhar pelas ruas da cidade para cobrar mais democracia e direitos na 24ª Parada do Orgulho LGBTQI+ que acontece nesse domingo, 08, a partir do meio- dia.

O tema escolhido para este ano foi “Os  50 anos da Revolta de StoneWall Inn. Mais democracia e direitos”. 

O desfile vai acontecer nas principais avenidas da cidade, iniciando pela Araguaia, passando pela Paranaíba, subindo a Av. Tocantins e retornando ao local de saída na Praça Cívica com término previsto para às 22h.

Cerca de 100 mil pessoas são esperadas nesta edição que tem o apoio da prefeitura de Goiânia e de Ong’s e Associações que trabalham com o público  LGBT.

Homofobia no Brasil

Em julho deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou  que a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero seja considerada crime.  O racismo é um crime inafiançável e imprescritível segundo o texto constitucional e pode ser punido com um a cinco anos de prisão e, em alguns casos, multa.

Leia mais:

STF criminaliza homofobia e transfobia, e Brasil avança nos direitos LBGTI

Criminalização da Homofobia: O STF está legislando ou o Congresso está prevaricando?

Alterações no trânsito

Por causa do desfile da Parada do Orgulho LGBTIQ+, a  operação do transporte nas avenidas Araguaia, Paranaíba, Tocantins e Anhanguera seguirá ações de bloqueio de vias feito pela Superintendência Municipal de Trânsito (SMT).

Segundo a CMTC, o planejamento atenderá o público da Parada. Durante a passagem dos carros de som e dos participantes, a via ocupada ficará bloqueada e os ônibus seguirão os desvios no trânsito.

Cerca de 25 agentes vão fazer o controle viário. Serão 15 agentes da Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade e 10 do Batalhão de Polícia Militar de Trânsito.