TRE suspende invalidação e Dra. Cristina volta ao status de candidata

De acordo com Nara Bueno, advogada da vereadora, a decisão foi uma medida cautelar, uma via estrita para dar ou não efeito suspensivo a sentenças dentro do processo eleitoral.

0
Vereadora Dra. Cristina Lopes
Cristina afirma que seu nome foi homologado, o que garante sua candidatura. (Foto: Arquivo Bandeirantes)

Em nova decisão nesta quinta-feira (15), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), devolveu à Dra. Cristina Lopes (PL) o status de candidata à Prefeitura de Goiânia, o que lhe garante o direito de realizar todos os atos de campanha. De acordo com Nara Bueno, advogada da vereadora, a decisão foi uma medida cautelar, uma via estrita para dar ou não efeito suspensivo a sentenças dentro do processo eleitoral.

No dia 4 de outubro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) derrubou a liminar que garantia a candidatura da vereadora Dra. Cristina. Em entrevista ao Jornal Bandeirantes, a vereadora disse que foi vítima de “uma sabotagem eleitoral” e que se a decisão não for revertida, ela tem provas suficientes para buscar a candidatura na Justiça.

“Ainda não foram apreciadas as provas referentes a convenção partidária. Foi decidido a respeito dos efeitos suspensivos”, explica Nara Bueno. A advogada de defesa explica que o TSE entendeu pela “invalidação” do registro de candidatura, o que segundo ela, foi inapropriado. “Não existe isso dentro do processo eleitoral. Existe deferimento ou indeferimento, não existe invalidação”, pontua.

Dra. Cristina pode realizar atos de campanha

Com a decisão desta quinta-feira, Dra. Cristina volta a gozar do status de candidata, podendo fazer todas as atividades e atos de campanha. Segunda Nara, a Justiça não deu a possibilidade do contraditório à defesa após a coligação de Maguito Vilela apresentar provas contra o recurso da defesa que pedia a liberação da candidatura.

“A coligação do Maguito apresentou novas provas que são uma reunião e uma ata feitas fora do prazo, no dia 1º de outubro e ao invés dele me ouvir de novo, ele julgou antecipadamente o mérito do recurso. Foi nesse julgamento que ele invalidou a candidatura da Dra. Cristina nesses termos, invalidar, que não existe no direito eleitoral”, disse a advogada.


Leia mais: Justiça impede registro de candidato a prefeito de Santa Bárbara de Goiás