28.8 C
Goiânia
segunda-feira, 15, abril 2024
- Anúncio -

Sem explicar como, Lula diz que, se eleito, dará um jeito no centrão

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Advertisement -

Ex-presidente da República e novamente candidato ao Palácio do Planalto, neste ano de 2022, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) passou pelos três estados da região Sul do Brasil, neste fim de semana.

Em sua estada em Florianópolis (SC), o petista recebeu apoio de apoiadores que acompanharam seu comício e disse que, se for eleito para governar o país mais uma vez, terá de dar um jeito no centrão, grupo de partidos políticos que têm influência histórica no governo federal.

“Se a gente ganhar, a gente vai ter que dar um jeito no Centrão, vai ter que mexer no orçamento secreto, vai ter que cumprir o piso da enfermagem, melhorar o piso dos professores”, afirmou o ex-presidente.

Ainda no Sul, na última sexta-feira (16), Lula participou de atos eleitorais em Porto Alegre e, no sábado (17), em Curitiba, capital do Paraná, onde ficou por mais de 500 dias preso em decorrência da Operação Lava Jato.

O petista também aproveitou a oportunidade e deu uma alfinetada no candidato do Paraná ao Senado Federal e ex-juiz que decretou a prisão de Lula, Sergio Moro.

Também foi alvo de Lula, sem ser citado, o presidente Jair Bolsonaro, que foi chamado de fascista e de que havia se apropriado da bandeira do país.

“Normalmente, um fascista que não tem partido político, que nunca organizou partido político, que não gosta do povo, não respeita ninguém, diz o seguinte: ‘O meu partido é o Brasil’. E eu queria dizer para ele que o Brasil não é partido, é o nosso país”, afirmou.

Na capital de Santa Catarina, Lula subiu em palanque montado na Praça Tancredo Neves, no Centro, em frente à Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Ele estava acompanhado de aliados e como o seu candidato a vice, Geraldo Alckmin (PSB).

Em determinado ponto de seu discurso, Lula pediu para a plateia votar em candidatos aliados, porque, segundo ele, vai precisar de ajuda no Congresso caso seja eleito.


Leia mais: Em Londres, para velório da rainha, presidente é aplaudido por apoiadores

- Anúncio -
Array
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -