Seds e Secult promovem I Mostra de Filmes e Debates sobre Violência Contra a Mulher

0
As exibições e debates serão abertos ao público e realizados a partir das 19h, até o dia 13 de março, no Cine Cultura, que fica localizado na Praça Cívica, em Goiânia. Foto: Divulgação

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds), em parceria com a Secretaria de Cultura (Secult), realiza desde o início desta semana o programa Dos Calos na Fala — I Mostra de Filmes e Debates sobre Violência Contra a Mulher.

São exibidos filmes e realizados debates que instigam a reconstrução de concepções acerca do que é ser mulher na atual conjuntura social, além da discussão de formas de combate à violência de gênero. As exibições e debates serão abertos ao público e realizados a partir das 19h, até o dia 13 de março, no Cine Cultura, que fica localizado na Praça Cívica, em Goiânia.

A gerente de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres, Juliana Ramos Caiado, explica que os longas-metragens exibidos apresentam relações de gênero como o tema central e mostram diversas formas de violência contra a mulher, sob viés crítico e reflexivo. “Depois da exibição serão realizadas as conversas e discussões mediadas por profissionais especializados no tema”, afirmou.

Confira a programação e sinopses completas:

11/3 (quarta-feira) — Miss Violence: A história de uma menina que decide se matar no dia do seu aniversário de 11 anos de idade, mas a família insiste em dizer que foi um acidente, na tentativa de esconder um segredo.

12/3 (quinta-feira)Martha: Martha é uma bibliotecária filha de um pai dominador. Após a morte dele ela se casa com um rico empresário, mas logo se torna vítima da personalidade fria, cruel e perversa do marido, que controla sua vida de maneira manipuladora e sufocante.

13/3 (sexta-feira)As Filhas do Fogo: Três mulheres independentes de meia-idade e insatisfeitas com suas próprias vidas se encontram por acaso, bem longe de suas casas, e começam a se relacionar. Quando percebem que estão livres daquilo que acreditam serem regras sociais possessivas, decidem formar um grupo cujo propósito é libertar outras mulheres que estejam passando pelos mesmos problemas.

Leia mais:

Aparecida de Goiânia terá programação especial em março pelo Dia da Mulher