24.8 C
Goiânia
terça-feira, 27, julho 2021
- Anúncio -

Roberto Naves descarta lockdwon em caso de 2ª onda e exalta situação fiscal de Anápolis

De acordo com Naves, a dívida herdada de mandatos anteriores foi de R$ 200 milhões, mas a última parcela de precatórios, será paga nesta segunda.

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

O atual prefeito de Anápolis e candidato a reeleição, Roberto Naves (PP), disse ao Jornal Bandeirantes desta segunda-feira (23), que não irá promover um lockdown na cidade caso ocorra uma 2ª onda de contaminação pela covid-19 na cidade. De acordo com ele, se isso acontecer, a cidade continuará aberta. “Não vamos decretar lockdown. Nosso sistema saúde está preparado para enfrentar da melhor maneira e dar atendimento a todo cidadão anapolino que precise”, disse.

Segundo Naves, quanto mais tempo demorar para uma possível 2ª onda, mas próximo de uma vacina a sociedade fica. Anápolis conta com 130 leitos municipais exclusivos para o tratamento da covid-19. Atualmente, apenas 14 leitos estão ocupados. A taxa de ocupação das UTIs nesta segunda-feira (23) é de 8% e nas enfermarias, é de 12,5%.

Construção de um novo hospital

Sobre a construção de um novo hospital municipal na cidade, Naves revela que existe um projeto pronto para a obra. De acordo com ele, a área para construção do hospital fica na região leste da cidade e os recursos, cerca de R$ 50 milhões, já foram garantidos. O Hospital Municipal Jamel Cecílio não está suportando a demanda.

“O município de Anápolis tem um hospital municipal, mas que durante décadas não foi modernizado. Hoje ele não consegue atender a demanda da cidade e a demanda das cidades vizinhas”, comentou o prefeito. “Nós não temos condições de fazer cirurgias dentro do centro cirúrgico do hospital municipal e por isso criando as filas por cirurgias eletivas”, revela.

Situação fiscal

Naves lembra dois momentos que foram complicados durante sua gestão como prefeito de Anápolis. O então iniciante no cargo assumiu o pleito em 2017 em meio a uma crise global que também se arrastou para 2018. Além disso, em 2020, a pandemia da covid-19 causou grande impacto. Apesar disso, o prefeito lembra que conseguiu quitar as dívidas de gestões anteriores.

De acordo com Naves, a dívida herdada foi de R$ 200 milhões, mas a última parcela de precatórios, será paga nesta segunda. “Daquilo que foi herdado, nós quitamos praticamente tudo. Existe um déficit anual natural que surge dentro dos balancetes por causa do empenho que foi executado. É um déficit contábil, mas o real de dívidas da prefeitura devemos ter quitado mais de 90% daquilo que herdamos das gestões anteriores”, sublinha.

O prefeito concorre a reeleição com outro candidato que também já foi prefeito de Anápolis, Antônio Gomide (PT). No primeiro turno, Roberto Naves ficou com 46,64% dos votos contra 28,87% de Gomide.


Leia mais: Justiça nega terceiro pedido de Vanderlan para proibir áudio sobre o senador Chico Rodrigues

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -