Pirenópolis divulga decreto para reabrir turismo a partir de 14 de agosto

0
Foto: Prefeitura de Pirenópolis / Divulgação

A prefeitura de Pirenópolis divulgou, nesta sexta-feira (31), decreto que prevê as medidas para retomada do turismo na cidade. Segundo o documento, as atividades econômicas relacionadas ao segmento poderão ser retomadas no dia 14 de agosto. Empresas terão que atender os requisitos estabelecidos pelas autoridades de saúde.

Entre as medidas, os meios de hospedagem deverão utilizar no máximo 65% de ocupação diária. Nas demais áreas ou atividades, será permitida capacidade de carga de no máximo 50%, além de distanciamento físico de 2 metros.

As regras valem para pousadas, casas de aluguel, camping, albergues, agências de viagens e outros atrativos. O ingresso de pessoas de outras localidades só serão permitidas mediante apresentação e comprovação de reserva de hospedagem e de entrada nos atrativos e restaurantes.

Normas para os visitantes

Todos os visitantes deverão ter sua temperatura aferida na entrada e serão submetidos a um questionário à respeito de sua saúde. Quem apresentar os sintomas gripais, ou seja, se estiverem sintomáticos, serão impedidos de entrar e aconselhado a procurar uma unidade de saúde.

Além disso, o uso de máscaras será exigido e ela só poderá ser tirada para comer e beber, e nos atrativos, elas só poderão ser tiradas para entrar na água.

Linha de frente

Caso algum funcionário teste positivo, deverá ser afastado do trabalho por 14 dias e todos que mantiveram contato deverão procurar os serviço de saúde. Com isso, o estabelecimento deverá ser fechado e esterilizado para retomar as atividades.

Fica estabelecido que bares, restaurantes e lanchonetes poderão funcionar até meia noite. Continua proibida na cidade qualquer tipo de aglomeração, seja ela em locais fechados ou ao ar livre. Estão proibidas também, reuniões, festas, caminhadas, procissões ou festas religiosas.

Confira o decreto clicando aqui.

Leia mais:

Goiás registra 68.448 casos, 51.749 curados e 1.656 mortes por Covid-19, diz governo