Operação da Polícia Civil investiga fraudes em licitações do Ipasgo

0
Foto: Divulgação/ Polícia Civil

A Polícia Civil de Goiás cumpriu na manhã de hoje, 53 mandados de busca e apreensão pela Operação BackDoor II, que apura fraudes no Instituto de Assistência dos Servidores do Estado de Goiás (Ipasgo). Segundo a corporação, no total são 25 pessoas e 27 empresas investigadas em dez cidades goianas e São Paulo (SP).

Os mandados foram cumpridos em Goiânia, Anápolis, Ceres, Aparecida de Goiânia, Inhumas, Itapaci, Jaraguá, Caldas Novas, Rialma, São Patrício e São Paulo (SP).

A primeira fase da Operação foi realizada em julho do ano passado, quando a Polícia apurou a participação de servidores do Ipasgo em esquema de fraudes em pedidos de exames. A partir disso, a investigação apurou que vários servidores envolvidos no esquema eram terceirizados de uma empresa contratada pelo Ipasgo.

Segundo a corporação, nesta segunda etapa, o objetivo foi apreender computadores, celulares, documentos, contratos, extratos bancários e outros elementos de informação dos investigados e sua relação, assim como da empresa, com o instituto.

A Polícia Civil informou que apura indícios de fraudes em todos os certames que a empresa vencedora teve junto ao Ipasgo.  Ao final das investigações, os envolvidos poderão ser indiciados pelos crimes de organização criminosa, corrupção passiva, corrupção ativa, prevaricação e fraude em licitação.

A operação foi batizada com o nome Backdoor que significa porta dos fundos. Este é o nome dado à entrada secreta em determinado software, burlando uma autenticação ou criptografia do sistema informatizado.

Leia mais:

Atendimento para emissão de identidade emergencial é ampliado em Goiás