20.8 C
Goiânia
quinta-feira, 27, janeiro 2022
- Anúncio -

Novo decreto da Cidade de Goiás não proíbe entrada de turistas no município

O gestor municipal detalhou o porquê resolveu adotar essas medidas restritivas para enfrentar a pandemia

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Advertisement -

Mesmo com decreto com a finalidade de combater a covid-19 na Cidade de Goiás, novo documento não cria restrição para entrada de turistas no município.

À Bandeirantes, nesta quinta-feira (13), o prefeito Aderson Gouvea (PT) explicou que os hotéis devem seguir 70% de ocupação, mas que não há necessidade de restrição, já que este mês de janeiro não é períoso de muitas visitas à cidade turística do interior goiano.

“Não estamos tendo restrições de pessoas na cidade, está aberta à visitação, nós reduzimos também a 70% a ocupação em hoteís, mas janeiro também não é um mês de tanta visita ne cidade”, explicou o chefe do Executivo.

O gestor municipal detalhou o porquê resolveu adotar essas medidas restritivas para enfrentar a pandemia. Segundo ele, o município passa por um momento de crescimento de casos da doença.

“A Ciadde de Goiás está sofrendo novamente com aumento de casos de covid-19. Na verdade, nós tivemos um período muito difícil e, janeiro, março, mas nunca tivemos um período com tanta gente infectada”, disse o político.

Desde a última quinta-feira (11), a partir das 1h até às 6h da manhã as pessoas não podem ficar nas ruas devido ao ‘toque de consciência’, determinado pelo decreto municipal. O prefeito explica também que é à noite que ocorre as maiores aglomerações, situação propícia para aumento de casos de infecção.

“Por que que colocamos entre 1h e 6h da manhã? Porque vimos que a partir de quando houve um crescimento de casos, foram as festas de fim de ano, tanto Natal como Ano Novo, muita gente vem para cá. Então a gente que é no período noturno que as pessoas saem para beber e identificamos que é à noite onde podemos mexer”, pontua.

De acordo com o prefeito, reuniões fechadas e que permitam uma fiscalização do poder público não serão proibidas.

“Estamos proibindo tipo de evento com muita aglomeração, que é difíicl para controlar. Mas reuniões de trabalho, menores em local fechado, que é possível fazer fiscalização, cobrar vacinação, aferição de temperatura, mas não festas”, destaca Aderson Gouvea.

Os eventos públicos e privados de qualquer natureza, de forma presencial, inclusive reuniões estão proibidos, exceto os que forem institucionais precedidos de nota técnica da Secretaria Municipal de Saúde.

A prefeitura diz ainda que bares, restaurante e similares não poderão funcionar entre 1h e 6h da manhã, a apresentação artística fica proibida nesses estabelecimentos.

Sobre o ‘toque de consciência’, a prefeitura destaca que os líderes religiosos, os trabalhadores dos Correios, profissionais de imprensa e demais cidadãos que exercem trabalhos considerados emergenciais poderão circular normalmente pela cidade.


Leia mais: Prefeitura da Cidade de Goiás publica decreto com restrições e ‘toque de consciência’

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -