MP diz que investigado em fraude na saúde do Rio, entregou R$ 8,5 mi espontaneamente

A identidade do investigado não foi revelada e não há informações sobre relação entre do montante e Edmar Santos, ex-secretário de saúde o Rio que foi preso ontem (10).

0

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) comunicou na tarde deste sábado (11), que cerca de R$ 8,5 milhões apreendidos durante operação realizada nesta sexta-feira (10), foram entregues voluntariamente por um dos investigados na presença de seu advogado. A Operação Mercadores do Caos investiga fraude em contratos emergenciais da Secretaria Estadual de Saúde do Rio para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Informações preliminares repassadas a imprensa afirmavam que o dinheiro havia sido encontrado na casa de Edmar Santos, ex-secretário estadual de Saúde do Rio. Entretanto, em nota apresentada hoje, o MP não informou a identidade do investigado e não há informações se o dinheiro tem relação com Edmar Santos.  

De acordo com o MP, dos R$ 8,5 milhões apreendidos, cerca de R$ 7 milhões são em moeda nacional. O restante do montante estava em moedas estrangeiras, como dólares, euros e libras esterlinas. Foram necessários equipamentos e um funcionário do Banco do Brasil para realizar a contagem do dinheiro, que só terminou na madrugada deste sábado.

Ex-secretário foi preso

Edmar Santos foi preso durante um desdobramento da Operação Mercadores do Caos, que investiga fraudes em contratos emergenciais da SES (Secretaria Estadual de Saúde) para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Entre as suspeitas estão três contratos para a compra de respiradores, que somam R$ 180 milhões.

Em outras fases, a operação já prendeu Gabriell Neves, ex-subsecretário executivo de Saúde e braço direito de Edmar Santos. Além disso, foram detidos empresários ligados ao suposto esquema de corrupção.


Leia mais: Esposa de Queiroz se entrega e cumprirá prisão domiciliar junto com o marido