17.8 C
Goiânia
quinta-feira, 18, julho 2024
- Anúncio -

Lucas Calil: “ninguém imaginou que o governo (Caiado) seria tão ruim”

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Advertisement -

Em entrevista ao Jornal Bandeirantes nesta segunda-feira, 02, o deputado estadual Lucas Calil (PSD), afirmou que “ninguém imaginou que o governo (Caiado) seria tão ruim”. Além disso, o deputado disse que o governador Ronaldo Caiado (DEM) não parece ser a mesma pessoa que um dia foi senador por Goiás e que ele não pode jogar sua incompetência para o governo passado.

Calil, inclusive, fez questão de pontuar que o governador já foi parte da base do ex-governador Marconi Perillo (PSDB) que hoje critica. “Eu até tenho o bom senso que é o fim de um ciclo de 20 anos. É bom dizer que eu tive na base nesses últimos quatro anos, mas o Caiado esteve na base nestes últimos 16 anos também. Quem indicou o Zé Eliton que ele tanto crítica é ele. Se alguém tem a culpa no cartório é ele, ele pegou a base sabendo de tudo. Essa desculpa de jogar sua incompetência no governo passado enquanto ele fez parte por 16 anos desse governo não tem pé nem cabeça”, comentou.

Para ele, fica comprovado o “ativismo político” do governador enquanto ele ainda era senador. “Ele era ferreamente contra a venda da Celg e hoje quer privatizar a Saneago da mesma forma. Então isso vai ser cobrado”. O deputado foi ainda mais enfático nas críticas: “Ele que se dizia um governador longe dos conchavos, do toma lá da cá, hoje se você pegar o Diário Oficial do Estado é a farra do boi no Palácio das Esmeraldas”.

Em relação ao projeto do governo que autoriza o uso de recursos das contas judiciais para auxiliar contas do estado, Calil afirmou que não tem razão para ser contra, mas também lembrou que quando o governo passado propôs um projeto similar que foi criticado por Caiado e que pediu suspensão judifical, através de seu genro dele, no Supremo Tribunal Federal.

RRF

Sobre o projeto para entrar no Regime de Recuperação Fiscal realizado pela União, e que tramitar na Assembleia Legislativa, o deputado disse que acha difícil que ele passe no plenário. “Difícil passar. Nós vamos terceirizar a administração do estado para o governo federal e isso é inadmissível”.

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -