Hospital de Campanha: secretário diz que espera estadualização da gestão para dar início aos trabalhos

0
Foto: Warley de Andrade/ TV Brasil

Em entrevista ao Jornal Bandeirantes, o secretário estadual de saúde, Ismael Alexandrino, afirmou que o governo estadual ainda espera que o Ministério da Saúde passe a gestão do Hospital de Campanha de Águas Lindas para que se possa começar o funcionamento da unidade. De acordo com ele, até o momento há apenas a estrutura físicas e camas no complexo que teve suas obras iniciadas ainda no início deste mês e tinha previsão para início de funcionamento em até 30 dias.

“Tem uma etapa importante de acontecer e não aconteceu ainda, e eu tenho cobrado, que o Ministério nos passe a gestão desse Hospital de Campanha. Sem a gestão eu não consigo contratar nada e não evolui”, disse o secretário. De acordo com ele, a gestão precisar ser repassada para que os equipamentos sejam comprados e para que a equipe médica e de manutenção seja contratada.

Questionado se o problema está relacionado com a troca de gestão no Ministério, Alexandrino lembrou que já havia feito a solicitação desde quando Luiz Mandeta era ministro e que mesmo assim ainda não tinha sido atendido. Porém, ele pontuou: “É inegável que o diálogo não está com a mesma fluidez e não falo só do Estado de Goiás, como pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde que até hoje não teve nenhuma reunião com o novo ministro”.

Entre as pautas que os secretários pretendem levantar com o ministro Nelson Teich está a possibilidade ou não da União adquirir 15 mil respiradores que haviam sido prometidos e que depois teve a compra cancelada.

“Sem essas aquisições está no mínimo atrasando nossas ações porque óbvio que havia a promessa, mas é importante que haja uma definição mesmo que ela seja de não comprar os equipamentos porque ai eu vou ter a prerrogativa de adquiri-los”, explicou Alexandrino. Ele lembrou que não pode haver duplicidade de compras e que não pode fazer contratações e para uma estrutura que não é do Estado.

De acordo com ele, a expectativa é do funcionamento do Hospital de Campanha de Águas Lindas em até 15 dias após a estadualização da gestão da unidade.

Número de casos

Alexandrino também comentou que “certamente” o número de novos casos confirmados de coronavírus em Goiás tenha “um aumento significativo” a partir da próxima semana. A perspectiva do secretário leva em conta os 14 dias pós novo decreto que permitiu a flexibilização de novas atividades pelos municípios.

De acordo com ele, há uma preocupação do governo estadual à desobediência das pessoas em usarem máscaras. “Não dá para somar dois fatores que são complicadores: o ajuntamento de pessoas é um fator e o não uso da máscara é outro fator. Quando a gente soma os dois certamente o resultado não será bom”, finalizou.

Leia mais:

Caiado e Bolsonaro visitam Hospital de Campanha em Águas Lindas