Governo de Goiás lança Bolsa Conectividade para alunos da UEG

Com investimento total de pouco mais de R$ 1 milhão, a Bolsa Conectividade garantirá três parcelas de R$ 100, para cerca de 3,5 mil alunos que, serão exclusivamente para contratação de planos de internet.

0
Vestibular UEG Goiás
O certame, que estava marcado para o dia 21 de março, foi adiado em razão do agravamento da pandemia de Covid-19. (Foto: Divulgação / UEG)

O governador Ronaldo Caiado (DEM) lançou, na manhã desta quarta-feira (23), no Palácio das Esmeraldas, a Bolsa Conectividade e anunciou a retomada da Bolsa Permanência para garantir a continuidade e o acesso às aulas remotas da Universidade Estadual de Goiás (UEG) aos estudantes que estão em situação de vulnerabilidade econômica, agravada pela pandemia da Covid-19.

“A maioria dos alunos é de família de baixa renda e tem limitações. Hoje, criamos bolsas sociais tanto para dar condições para o jovem se conectar com a internet, como um apoio financeiro para que permaneça na universidade”, explicou, ao lado do reitor da instituição, professor Valter Gomes Campos.

Com investimento total de pouco mais de R$ 1 milhão, a Bolsa Conectividade garantirá três parcelas de R$ 100, de outubro a dezembro, para cada um dos cerca de 3,5 mil alunos. O valor será exclusivamente para contratação de planos de internet.

Bolsa Permanência

Já na Bolsa Permanência, o Governo aportará recursos de R$ 720 mil para a até 600 universitários, R$ 400 por mês, também pelo mesmo período. “Muitos estudantes são bem preparados, mas não conseguem se manter com condições mínimas de dignidade”, frisou o governador sobre a importância do combate à evasão.

Os editais dos dois programas lançados nesta quarta-feira devem ser publicados até o final de setembro. Dentro do programa de bolsas, a universidade mantém outros editais previstos para a concessão de cerca de 4,5 mil bolsas. O investimento é de R$ 3 milhões para incentivar a pesquisa e a docência.

Os recursos estão em um pacote de suplementação orçamentária, liberado pelo Governo de Goiás para a UEG, de R$ 5,5 milhões e que ainda inclui verbas para serviços administrativos, limpeza, reparos e manutenção das unidades universitárias e câmpus.

Reitor da Universidade Estadual de Goiás (UEG), professor Valter Gomes Campos afirmou que 78% dos discentes da instituição são oriundos de famílias com renda de até três salários mínimos. “Muitos tiveram sua situação agravada e precisam do auxílio, do olhar social da Universidade para que continuem seus estudos.”

Valter contou que está sendo promovida uma campanha para estimular a doação de equipamentos por parte de empresários e pessoas físicas. A ideia é receber dispositivos móveis, computadores e outros tipos de aparelhos para que os estudantes possam acessar as aulas e garantirem sua formação. “São ações que a Universidade empreende neste momento tão difícil que todos passamos, que é essa pandemia.”


Leia mais: Presidente do Sepe relata pressão para retorno as aulas em instituições particulares