Deputado Estadual Alysson Lima influenciou fim do projeto que subsidiava transporte coletivo

0
Foto: Andreia Nikely / Rádio Bandeirantes

Dando prosseguimento à série de entrevistas com os pré-candidatos à prefeitura de Goiânia, a Rádio Bandeirantes recebeu nessa quinta-feira (13), o deputado estadual Alysson Lima, do Solidariedade. O parlamentar foi eleito em 2018 pelo PRB com mais de 30 mil votos.

Reforma política

O parlamentar afirmou que não pretende seguir por muito tempo na vida política e defendeu a reeleição em apenas um mandato para qualquer cargo público e a impossibilidade de retorno ao cargo anterior.

Modernização de Goiânia

Quanto a capital, o deputado afirma que a cidade precisa passar por uma modernização e flexibilização tributária, o que segundo Lima não tem sido feito pelo atual prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB). “A atual gestão de Goiânia infelizmente peca por continuar naquele modelo de 30, 40 anos atrás, que é fazer superávit durante três anos e injetar recursos na sociedade apenas no último ano. É um modelo totalmente ultrapassado”, explica o parlamentar.

Obras

Sobre as obras que estão sendo realizadas na capital, o deputado que durante o seu mandato como vereador por Goiânia, propôs e presidiu uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar 40 obras paradas, declarou que a CEI concluiu que “o goianiense está sendo roubado, está pagando duas vezes pela mesma obra. Isso é muito grave! Nós temos mais de um bilhão de reais em obras paradas na capital”, afirmou Lima.

Transporte Coletivo

Em relação ao transporte coletivo, o parlamentar afirmou que se a Prefeitura e o Estado investissem R$ 80 milhões por ano, Goiás teria o melhor sistema de transporte público acima do eixo de São Paulo. Mas, de acordo com o deputado, nem o Estado e nem a Prefeitura investem nessa área.

Questionado sobre o projeto que visava aprovar um fundo que iria subsidiar parte das passagens de ônibus, com parte dos recursos do licenciamento de automóveis na Grande Goiânia, Lima afirmou que foi o maior responsável para que o projeto não avançasse. “Eu fui no Caiado e convenci ele a desistir”, declarou o deputado, fazendo referência ao governador do estado, Ronaldo Caiado.

“O pano de fundo é interessante, no entanto, nós estamos falando de um país em que a desigualdade já é amarga, em que as pessoas já pagam muito imposto, inclusive quando eu compro um transporte é porque muitas vezes, o transporte público não funciona. É injusto fazer essas pessoas pagarem pela incompetência do poder público”, afirmou o parlamentar.

Escute a entrevista na íntegra: