27.8 C
Goiânia
segunda-feira, 22, julho 2024
- Anúncio -

Brasil marca presença na maior conferência de games da Europa

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Advertisement -

O Brasil marcou presença, pela primeira vez, em um dos maiores eventos de games do planeta: a Gamescom. O país foi representado pela diretora de Formação e Inovação Audiovisual da Secretaria do Audiovisual (SAV), Claudia Gonçalves.

“O potencial econômico do mercado de games é inegável, ressalta Cláudia. “”O setor expandiu-se e encontra-se em pleno crescimento. Ligado à área audiovisual em junção com a tecnologia, são muitas as aplicações dos jogos eletrônicos. Esportes, literatura, matemática. São inúmeras as áreas de conhecimento abrangidas pelos games. Nossa meta é explorar esse mercado, responsável até mesmo por reflexos sociais”, disse Claudia.

A SAV integrou o evento ao lado de uma comitiva formada por representantes de 60 estúdios brasileiros de desenvolvimento de jogos. O projeto AfroGames é um exemplo da função social, com inclusão de jovens de comunidades de baixa renda da cidade do Rio de Janeiro, por meio da prática de e-sports.

“A pluralidade que traduz o Brasil, seja em seu povo ou em seu território, já aparece no mercado de games brasileiro. Nossa cultura é rica e diversa. Trouxemos isso para a mesa de debates que realizamos. E ficou claro pelos retornos que tivemos que o mundo quer conhecer o que temos para oferecer”, concluiu a diretora.

Claudia participou do painel O Poder do Brasil. Reconstruindo o setor audiovisual por meio dos games e da diversidade, ao lado do presidente da Abragames, Rodrigo Terra; do diretor-executivo do BIG Festival, Gustavo Steinberg; do fundador da organização não governamental Afrogames, Ricardo Chantilly; e o representante da ApexBrasil, Eros Silva.

“A viagem deste ano tem um significado muito especial para a indústria brasileira de desenvolvimento de games. Além de contar com a incrível presença de quase 60 estúdios – um crescimento de cerca de 26% em relação ao ano passado –, o Brasil será o grande homenageado da Gamescom em reconhecimento ao importante polo de desenvolvimento em que o país tem se transformado”” comemorou o presidente da Abragames.

Membros da Brazil Games (projeto setorial de exportação realizado pela Abragames, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (ApexBrasil) também integraram a comitiva.

Setor potencial

Atualmente, o Brasil representa apenas 1,5% do mercado global de jogos, que movimentou quase US$200 bilhões em 2022. Na América Latina, entretanto, ocupa lugar de destaque, liderando o ranking regional: girou US$ 2,3 bilhões. E também no ano passado o percentual de crescimento é promissor: 152%.

O aumento na quantidade de estúdios nacionais dedicados a jogos saltou de 200, em 2014, para mais de mil, representando acréscimo de mais de 500%, em menos de uma década. Os dados são resultado de um levantamento elaborado pela Abragames.

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -