Anvisa aprova, por unanimidade, uso emergencial das vacinas de Oxford e Coronavac

A Coronavac tem 50,4% de eficácia em percentual arredondado e a vacina de Oxford tem eficácia de 70.42%.

0
Vacinas de Oxford e Coronavac
(Foto: Reprodução)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou neste domingo (17), por unanimidade (cinco votos a zero), o uso emergencial das vacinas Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac e da Universidade de Oxford, produzida pela Fiocruz, contra a Covid-19. A reunião que discutiu o tema durou cerca de 5 horas.

A relatora dos pedidos, Meiruze Freitas, foi acompanhada pelos demais técnicos da Anvisa que também votaram a favor. Segundo a Anvisa, um termo de compromisso assinado pelo Instituto Butantan precisa ser publicado no “Diário Oficial da União”, para que o uso da vacina seja liberado. O ato pode acontecer ainda neste domingo (17), em edição extra.

Quanto a eficácia das vacinas, a Coronavac tem 50,4%, em percentual arredondado. Já a vacina de Oxford tem eficácia de 70.42%. Ambas as vacinas são produzidas no Brasil. O pedido sobre a Coronavac foi feito em 8 de janeiro pelo Instituto Butantan, referente a 6 milhões de doses. Já o pedido sobre a vacina de Oxford foi apresentado em 8 de janeiro pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e é referente a 2 milhões de doses importadas do laboratório Serum, da Índia.


Leia mais: Técnicos da Anvisa recomendam uso emergencial das vacinas de Oxford e CoronaVac