25.8 C
Goiânia
sábado, 13, abril 2024
- Anúncio -

MLS alavanca nível técnico, vira foco de clubes europeus e atrai jogadores sul-americanos

Liga de futebol dos Estados Unidos começa a se tornar centro procurado por jogadores de ponta e clubes em busca de boas revelações

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Advertisement -

O atacante Jefferson Savarino, do Atlético-MG, foi mais um caso recente de jogador de ponta a deixar o Brasil rumo ao futebol dos Estados Unidos. O venezuelano foi negociado pelo Galo com o Real Salt Lake por 12 milhões e retorna à Major Soccer League, principal divisão do Soccer americano. Assim, o atleta seguiu o mesmo destino do meia atacante Dylan Borrero, revelado pelo Galo, que também foi vendido para a liga dos Estados Unidos, e atualmente joga no New England Revolution.

O atleta foi contratado pelo Atlético em 2020, e foi uma indicação do também técnico venezuelano Rafael Dudamel. Porém, quem teve o trabalho de fazer toda a avaliação e traze-lo foi o então diretor executivo do Galo na época, Rui Costa. Na ocasião, ele assistiu diversas partidas entre clubes e seleção, e a partir daí enxergou as caracatéristas dele extremamente parecidas com as de Dudu, que já se destacava pelo Palmeiras. Imediatamente, decidiu compartilhar a decisão com outros departamentos do clube e pediu um comparativo estatístico entre os dois jogadores. Uma situação em comum marca a comparação entre os dois jogadores: foi o próprio Rui Costa quem repatriou Dudu para o Grêmio em 2014, quando ele era executivo do clube gaúcho e o camisa 7 estava no Dínamo de Kiev, da Ucrânia.

Em 2022, o Atlético já fez outros negócios com a MLS. Depois de emprestar o volante Alan Franco para o Charlotte FC, o clube encaminhou um acordo nos mesmos moldes para que o zagueiro Micael atuasse no Houston Dynamo. Com a venda confirmada de Dylan Borrero e a iminente saída de Savarino, já foram quatro negociações na temporada atual. Além disso, o jovem Savinho, meia-atacante do Galo, tem acordo encaminhado com o Grupo City para a próxima janela de transferências da liga norte-americana.

Além do nível técnico das partidas, que ano após ano mostra evolução, a excelente estrutura dos clubes é outro fator que fortalece essa nova “rota” que leva à Europa. Por observarem nos Estados Unidos equipes com centros de treinamentos estruturados, corpo de funcionários de alta performance e estádios modernos, o mercado europeu, hoje, tem a certeza de que um atleta vindo da MLS chegará bem preparado em aspectos importantes de sua formação, como físico, mental e de competitividade.

“A MLS é uma liga muito organizada e que hoje vê seus clubes apostarem em jovens talentos com potencial de revenda. É um patamar diferente do de alguns anos atrás, quando eram contratados atletas de renome com o objetivo de tornar a liga mais conhecida. Esse crescimento faz parte de um planejamento que deve existir há muitos anos e que vai tornar o futebol dos Estados Unidos ainda mais forte”, analisou Rui Costa, diretor executivo do São Paulo.

Exemplos que fizeram o caminho rumo ao velho continente, já não faltam. Alphonso Davies, lateral destaque do Bayern de Munique, foi comprado ao Vancouver WhitcCaps. Miguel Almirón, atacante do Newcastle, pertencia ao Atlanta United. Maior e mais recente negociação da MLS junto ao futebol europeu, o americano Ricardo Pepi foi do FC Dallas para o Augsburg, da Alemanha, por 20 milhões de euros.

Para Júnior Chávare, diretor executivo com passagens por Bahia e pela base do Galo, ser uma ponte para o futebol europeu também acaba sendo muito vantajoso para as equipes norte-americanas.

“É inegável que a alta do dólar torna uma negociação com destaques de clubes brasileiros e sul-americanos vantajosa para os times da MLS. Mas o interesse não fica somente neste quesito, já que esses atletas também trazem um retorno esportivo e financeiro, pelo alto potencial de revenda”, disse.

Dentre os brasileiros que disputam a competição, a quantidade de jovens também chama atenção: são 11 jogadores com menos de 23 anos de idade dentre os 33 inscritos ao todo. Marcelo Paz, presidente do Fortaleza, analisa esse número.

“O foco dos clubes americanos e dos jovens atletas brasileiros mudou. Hoje, nossos atletas são monitorados e seguem para os Estados Unidos para continuarem sendo desenvolvidos. É um bom caminho para o sonho de atuar na europa. Atualmente, o perfil da MLS é lapidar promessas, e a estrutura que seus clubes oferecem também é interessante para os jogadores e seus agentes”, observou.

Confira abaixo quem são as jovens promessas do futebol brasileiro nesta temporada da MLS:

  • Vinícius Mello, 19 anos, revelado pelo Internacional (Charlotte FC)
  • Brenner, 22 anos, revelado pelo São Paulo (Cincinnati)
  • Lucas Esteves, 21 anos, revelado pelo Palmeiras (Colorado Rapids)
  • Max, 20 anos, revelado pelo Flamengo (Colorado Rapids)
  • Maciel, 22 anos, revelado pelo Botafogo (New England Revolution)
  • Talles Magno, 19 anos, revelado pelo Vasco (New York City)
  • Thiago Andrade, 21 anos, revelado pelo Fluminense (New York City)
  • Victor Yan, 20 anos, revelado pelo Santos (Orlando City)
  • Léo Chu, 21 anos, revelado pelo Grêmio (Seattle Sounders)
  • Caio Alexandre, 22 anos, revelado pelo Botafogo (Vancouver Whitecaps)
  • Thiago, 21 anos, revelado pelo Flamengo (Houston Dynamo)
- Anúncio -
Array
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -