Liverpool busca virada épica contra o Barça e vai à decisão

0
52
Liverpool aguarda Ajax ou Tottenham na final (Foto: Phil Noble/Reuters)

Em uma das reviravoltas mais épicas da história do futebol, o Liverpool se classificou para a final da Liga dos Campeões ao golear o Barcelona por 4 a 0, nesta terça-feira, no estádio Anfield, na Inglaterra. Agora, o time do técnico alemão Jürgen Klopp aguarda o classificado do duelo entre Ajax e Tottenham, nesta quarta-feira, em Amsterdã, para a grande disputa do dia 1º de junho, em Madri, quando vai tentar o sexto título europeu de sua história.

O Liverpool conseguiu exatamente o resultado que precisava, após ser derrotado em Barcelona por 3 a 0 no confronto de ida, na semana passada, na Espanha. E o time entrou desfalcado de dois de seus principais jogadores, Firmino e Salah, mas contou com atuações espetaculares do goleiro Alisson, dos meias Mané e Henderson, além de dois gols do belga Origi e do holandês Wijnaldum.

O Liverpool repete o feito das oitavas de final da edição 2006/2007 do principal interclubes europeu. Naquela ocasião, o time inglês saiu na frente com uma vitória por 2 a 1, no Camp Nou, no confronto de ida, e acabou avançando às quartas mesmo sendo derrotado por 1 a 0 na volta, em casa, tendo em vista o maior peso dos gols marcados como visitante para efeito de desempate.

Já o Barça amarga uma novo revés histórico, depois de também ser eliminado na temporada passada pela Roma, nas quartas de final, depois de marcar 4 a 1 no Camp Nou e ser derrotado no Estádio Olímpico da capital italiana por 3 a 0 no jogo de volta.

Messi não repetiu nem de longe a atuação da semana passada, quando marcou dois belos gols. Ele perde a oportunidade de conquistar a quinta Liga dos Campeões e de se qualificar como o principal candidato a ser eleito o melhor do mundo na próxima edição da premiação da Fifa.

O primeiro tempo foi espetacular. Shaqiri e Origi substituíram com muita garra e disposição os ausentes Salah e Firmino. Mané e Henderson, com preparo físico impressionante e muito domínio de bola, infernizaram a zaga espanhola.

No primeiro ataque do Barcelona, Robertson deu um safanão em Messi no chão, quando o argentino reclamava de uma falta. Suárez e Fabinho racharam todas as divididas.

O primeiro gol não demorou a sair. Após jogada iniciada por Mané Henderson chutou, Andre ter Stegen defendeu parcialmente e a bola sobrou para Origi marcar: 1 a 0. O Barcelona não se encolheu e foi para o ataque com Messi, que tentou de todas as formas, mas parou nas mãos de Alisson.

Aos 15, na melhor chance dos espanhóis na primeira etapa, Jordi Alba surgiu livre na frente de Alisson, mas preferiu passar para Messi, que pareceu surpreso com o passe e tentou mais um drible e perdeu a bola.

A tensão era tão grande em Anfield que os times erraram mais passes que o normal, mas as chances de gol eram criadas dos dois lados. O incansável Mané quase fez o segundo gol inglês, mas Andre ter Stegen apareceu bem. Robertson também arriscou de longe e a bola passou perto.

O fim da primeira etapa foi todo do Barcelona. Messi quase fez de fora da área. No último lance dos primeiros 45 minutos, o craque argentino achou Jordi Alba no meio da zaga inglesa, mas o lateral-esquerdo, mais uma vez, falhou, ao chutar em cima de Alisson.

O segundo tempo conseguiu ser mais emocionante que o primeiro. Com menos de quatro minutos, Andre ter Stegen e Alisson já haviam feito grandes defesas. O holandês Wijnaldum, que entrou no lugar de Robertson, machucado, no intervalo, foi o grande destaque, ao fazer dois gols em dois minutos. Aos 8, bateu seco, após cruzamento da direita. Aos dez, subiu mais alto que toda a zaga do Barça para fazer 3 a 0 e garantir naquele momento a disputa da vaga na final na prorrogação.

Com a devolução do placar de Barcelona, o Liverpool diminuiu o ritmo, mesmo com o time espanhol visivelmente abatido, errando muitos passes. Cada time se revezou no ataque. E um erro infantil propiciou o quarto gol inglês. Trent Alexander-Arnold cobrou rápido um escanteio pela direita e pegou toda a defesa do Barcelona distraída.

Sem marcação, Origi bateu de primeira e fez o segundo gol dele no jogo. O gol enlouqueceu o estádio, acabou com o entusiasmo do Barcelona e somou mais um milagre para o Liverpool, que levou a melhor sobre o time espanhol no quarto mata-mata europeu em quatro embates entre os dois clubes na história.

Antes de despachar o rival nas oitavas da Liga dos Campeões, em 2007, a equipe inglesa eliminou o time espanhola nas semifinais da Copa da Uefa, hoje chamada de Liga Europa, em duas ocasiões, nas edições de 1975/1976 e de 2000/2001 da competição.

Fonte: Portal da Band