Justiça aceita denúncia contra João de Deus por crimes sexuais

A juíza Rosângela Rodrigues dos Santos, da Justiça de Abadiânia (GO), aceitou ontem (9) denúncia apresentada pelo Ministério Público contra o médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, pelos crimes de estupro de vulnerável e violação sexual. Com a decisão, João de Deus vira réu no processo, que trata de quatro supostas vítimas do médium. A decisão está em segredo de Justiça e os detalhes não foram divulgados. 

O médium está preso desde 16 de dezembro sob a acusação de violação sexual mediante fraude e de estupro de vulnerável, crime que teria sido praticado contra centenas de mulheres. O Ministério Público de Goiás, que formou uma força-tarefa para cuidar do caso, recebeu mais de 330 denúncias de abuso sexual contra João de Deus de diversos estados brasileiros e do Distrito Federal.

João de Deus se instalou em Abadiânia há 42 anos e mantém a Casa Dom Inácio de Loyola, centro de atendimento espiritual onde o médium costumava atender a pessoas doentes. No local, segundo as denúncias, ele teria abusado sexualmente de mulheres durante atendimentos individuais. 

Após o recebimento da denúncia, o advogado Alberto Toron, representante de João de Deus, disse que ainda não foi notificado da decisão, mas que confia na Justiça.

50 milhões bloqueados 

O médium João de Deus, preso após denúncias de abusos sexuais durante tratamento espiritual, teve R$ 50 milhões em dinheiro e imóveis bloqueados pela Justiça de Goiás na tarde de ontem. A medida foi determinada no último dia 27 de dezembro, após pedido do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) para ressarcimento das vítimas. O investigado nega os crimes.

Redação Bandeirantes

Notícia Anterior

Toffoli decide que votação para presidência do Senado será secreta

Próxima Notícia

Emissão de boleto do IPVA 2019 está disponível nos sites da Sefaz e Detran

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *