Fevereiro laranja incentiva doação de medula óssea

0
Foto: Divulgação/ Secretaria de Estado de Saúde

Depois do dezembro vermelho, mês de luta contra a AIDS e do janeiro branco, em favor da saúde mental, é a vez do Fevereiro Laranja, que busca conscientizar a população sobre o combate à leucemia.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer do Ministério da Saúde, foram registrados 188 casos de leucemia, em Goiás, entre 2010 e 2016, uma média de 32 casos por ano. Desses, 102 eram homens e 86 mulheres. De acordo com a estimativa de novos casos para 2018 e também para 2019, a ocorrência foi de aproximadamente 300 novos casos no estado, média de 150 por ano.

Em apoio à ação, a Hemorrede Pública do estado de Goiás tem intensificado a campanha para doação de medula óssea. Desde setembro do ano passado, foram ampliados os pontos de cadastro de doadores de medula para todas as unidades do interior e na unidade móvel, além do cadastro no Hemocentro Coordenador Professor Nion Albernaz, localizado na Av. Anhanguera, em Goiânia.

De acordo com a diretora-geral da Hemorrede, Denyse Goulart, além dos pontos já existentes, é possível solicitar uma unidade móvel para ações especiais em toda a Região Metropolitana de Goiânia.  Para fazer essa solicitação, basta entrar em contato com o Hemocentro, por meio do telefone (62) 3201 – 4570.

Após o pedido, uma equipe é enviada. É solicitado aos interessados, apenas a disponibilização de um espaço para coleta das amostras e a mobilização dos doadores.

Para ser doador de medula óssea, é necessário que a pessoa atenda a alguns requisitos. São eles: Ter entre 18 e 54 anos de idade; Estar em um bom estado geral de saúde; Não ter doença infecciosa ou incapacitante; Não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico e algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Leia mais:

Brasil tem primeiro caso suspeito de coronavírus