Enfermeira de Goiânia afastada por suposta fraude pode ter registro profissional cassado

0

O Conselho Regional de Enfermagem de Goiás (Coren-GO) informou, nesta quarta-feira (17/2), que instaurou um procedimento ético-disciplinar para avaliar a conduta da profissional que não teria aplicado a dose da vacina contra a covid-19 em uma idosa na capital. O caso ganhou repercussão depois que um vídeo com a suposta fraude foi divulgado por familiares da idosa. De acordo com o Coren-GO, “se ficar comprovado que a profissional não esteja em consonância com os princípios éticos, poderá receber a penalidade de acordo com o ato praticado, podendo ser desde uma advertência verbal até mesmo a cassação do exercício profissional”. 

 O caso foi no último dia 10, na Área I da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás). No vídeo, é possível ver que a profissional da saúde não aplica o suposto imunizante na idosa. A mulher retira a agulha do braço da idosa em questão de segundos, supostamente simulando uma vacinação.

Logo que identificou a enfermeira, a Secretaria de Saúde de Goiânia afastou a profissional, que não participa mais da campanha de vacinação contra a covid-19 na capital. O Coren-GO informou que não recebeu, até o momento, nenhuma denúncia por parte da idosa ou dos seus familiares.   “Os profissionais da enfermagem, que são enfermeiros, técnicos e auxiliares, são capazes de vacinar qualquer cidadão. Não podemos por um caso colocar toda a competência da classe em risco. A sociedade deve confiar em nossa categoria, que atua incansavelmente na linha de frente contra a covid-19”, pontua a presidente do Conselho, Edna de Souza Batista.