28.8 C
Goiânia
segunda-feira, 15, abril 2024
- Anúncio -

Conselho Regional de Farmácia alerta sobre automedicação e uso de ivermectina

A Ivermectina é um fármaco usado no tratamento de vários tipos de infestações por parasitas, entre elas estão a infestação por piolhos e sarna.

- Anúncio -

Mais Lidas

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -
- Advertisement -

O Conselho Regional de Farmácia do Estado de Goiás (CRF-GO) publicou uma nota nesta quarta-feira (08), reforçando o alerta contra a automedicação e o uso da ivermectina. De acordo com a nota, o CRF-GO não recomenda o uso de invermectina para a prevenção da covid-19 e também adverte quanto aos riscos para pacientes em estágio grave da doença.

“Não existe cura para a covid-19 e o uso de qualquer medicamento deve ser feito apenas sob prescrição médica e orientação de um farmacêutico”, explica o diretor secretário do CRF-GO, Daniel Jesus, que é professor e mestre em farmacologia.

A Ivermectina é um fármaco usado no tratamento de vários tipos de infestações por parasitas. Entre elas estão a infestação por piolhos e sarna por exemplo. Nos últimos dias, a exemplo da hidroxocloroquina, a ivermectina tem sido cogitada para prevenção da Covid-19, já que é um remédio que não necessita de prescrição médica para ser comprado.

Efeitos colaterais

A utilização da ivermectina quando há sinais de hiperinflamação pode acometer o Sistema Nervoso Central. O CRF-GO reforça que o médico deve fazer uma rigorosa avaliação do risco-benefício antes de prescrever este medicamento, estando atento, principalmente, aos sinais e sintomas de alteração do estado mental  e sensorial do paciente.

A nota também lembra que a melhor maneira de se evitar o contágio da doença ainda é o distanciamento social, a higienização frequente das mãos com água e sabão, o uso de máscara e de álcool em gel.

“Diante dos estudos científicos, não há qualquer medicamento capaz de prevenir o novo coronavírus ou sequer um kit que reúna preventivos à doença. Existem sim fármacos capazes de tratar sintomas e controlar o avanço da doença, mas devem ser prescritos por um médico, após diagnóstico, avaliação e acompanhamento individual, pois a doença evolui de forma diferente para cada paciente”, diz a nota.


Leia mais: Flexibilização da quarentena na capital será feita em conjunto entre Município e Estado

- Anúncio -
Array
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -